Porto Alegre, quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

  • 05/02/2014
  • 21:28
  • Atualização: 21:54

Necropsia de Philip Seymour Hoffman tem resultado inconclusivo

Peritos vão fazer mais testes na tentativa de comprovar overdose do ator

 Homenagem foi feita em Greenwich Village, bairro onde o ator morava | Foto: Andrew Burton / AFP / CP

Homenagem foi feita em Greenwich Village, bairro onde o ator morava | Foto: Andrew Burton / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

A necropsia do ator norte-americano Philip Seymour Hoffman não permitiu chegar a resultados conclusivos, e outras análises serão necessárias, informou o instituto médico legal de Nova Iorque.  Uma porta-voz explicou que outros testes seriam necessários para determinar com precisão as causas da morte do ator, de 46 anos, encontrado sem vida dentro de seu apartamento, aparentemente vítima de uma overdose de heroína.

Policiais encontraram vários vestígios da droga junto ao corpo do ator. Numa busca mais minuciosa, foram encontradas 50 doses da mesma substância, seringas e comprimidos.  Estes novos resultados podem demorar vários dias até ficarem prontos, e a polícia não informou uma data precisa. A porta-voz também informou que o corpo de Hoffman ainda não foi entregue à família do ator, pai de três filhos pequenos.

Segundo a polícia, a heroína encontrada na casa de Hoffman não continha fentanilo, uma potente substância aditiva associada à morte de 22 pessoas recentemente no estado americano da Pensilvânia. O anúncio dos legistas ocorreu após a prisão de quatro pessoas, três homens e uma mulher, na noite desta terça-feira durante as investigações sobre a morte do ator. A operação ocorreu numa área residencial no sul de Manhattan, onde foi apreendida uma "grande quantidade" de heroína.

A imprensa norte-americana informou que o funeral de Hoffman ocorrerá nesta sexta-feira, na igreja de Santo Ignácio de Loyola, na Park Avenue, em Nova York. Na quinta-feira haverá um velório privado.  A mesma igreja abrigou, em 1994, o funeral de Jackie Kennedy Onassis, viúva do presidente John F. Kennedy.

Com quase 50 filmes em sua trajetória, Hoffman era um dos atores mais admirados de sua geração em Hollywood, não só por seu talento como também pela capacidade de escolher bons papéis. Ele trabalhava tanto em filmes de grandes estúdios quanto em produções independentes. Oscar de melhor ator em 2006 pelo filme "Capote", ele recebeu três outras indicações ao prêmio da Academia por "Jogos do Poder" (2008), "Dúvida" (2009) e "O Mestre" (2013), um de seus últimos filmes.

Seymour Hoffman atravessava um momento pessoal difícil e havia voltado a consumir drogas, vício que já havia colocado sua vida em perigo quando tinha 22 anos. No bairro de Greenwich Village, onde o ator morava, muitos admiradores colocaram flores, acenderam velas e deixaram bilhetes em frente ao prédio de Seymour Hoffman.

Bookmark and Share