Porto Alegre, quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

  • 07/02/2014
  • 20:10
  • Atualização: 22:18

Muita emoção e lembranças no velório de Nico Nicolaiewsky

Corpo do músico está sendo velado no Theatro São Pedro desde as 18h

  • Comentários
  • Luiz Gonzaga Lopes / Correio do Povo

Foi difícil conter as lágrimas no velório de Nico Nicolaiewsky, iniciado às 18h desta sexta-feira, que segue até a meia-noite e será retomado neste sábado das 9h às 18h no Theatro São Pedro. Ele será enterrado às 21h de sábado no Cemitério Israelita. Amigos, músicos, atores e fãs foram dar conforto à família do músico. O caixão foi recoberto por uma manta com notas musicais e teclado e o piano do TSP recebeu rosas vermelhas.

O diretor artístico da Ospa, Tiago Flores, ressaltou que ele entendia a cena como um maestro. “Ele pensava o espetáculo como um todo, no sentido teatral, visual e musical e conseguia emocionar as pessoas”. O músico Arthur de Faria lembrou que Nico era um compositor maior do que muitos conheciam. “Ele deixou mais de 50 músicas não gravadas. Era um cara com um nível de sofisticação musical que poucos tem no Rio Grande do Sul”, destacou.

Companheiro de Saracura, Fernando Pezão (atual baterista do Papas da Língua) exclamou ao encontrar Hique Gomez: “Voltamos ao teatro”, referindo-se ao local que sempre foi de Nico. Pezão havia feito uma participação especial como convidado na primeira e única semana da temporada de verão do Tangos & Tragédias na primeira semana de janeiro deste ano. Parceiro de Nico há quase 30 anos no Tangos, Hique Gomez preferiu não falar, pois contou que está difícil de digerir o ocorrido. Ele disse que irá escrever um texto para expressar o que sente.

A produtora do Tangos & Tragédias, Marilourdes Franarin, agradeceu a Nico a quem chamava de “meu patrão” por tudo que ele ensinou em 28 anos de convivência. “Ele me ensinou que quando se faz justiça todos ganham. Me mostrou que quando se faz o que gosta a vida fica plena", contou.

Grandes nomes da música e do teatro foram ao velório confortar a família de Nico, como os músicos Nelson Coelho de Castro, Vagner Cunha, Thedy Correa, Sady Homrich, o escritor Luis Fernando Verissimo e a mulher Lucia, os atores Zé Victor Castiel, Rogério Beretta e Susi, a diretora e coreógrafa Carlota Albuquerque e os maestros Antônio Borges-Cunha e Tiago Flores.

No piano, tocaram algumas pessoas como Simone Rasslan, Arthur de Faria e Fernando Pezão em uma forma de homenagem a Nico.

Bookmark and Share


TAGS » Gente, Teatro, Variedades