Correio do Povo

Porto Alegre, 20 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
24ºC
Amanhã
11º 19º


Faça sua Busca


Arte & Agenda > Variedades > Cinema

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

10/02/2014 07:53 - Atualizado em 10/02/2014 08:18

Produção brasileira estreia no Festival de Berlim

"O Homem das Multidões" ganha exibição na sessão Panorama nesta segunda-feira

´O Homem das Multidões´ estreia nesta segunda-feira no Festival de Berlim<br /><b>Crédito: </b> Espaço Filmes / Divulgação / CP
´O Homem das Multidões´ estreia nesta segunda-feira no Festival de Berlim
Crédito: Espaço Filmes / Divulgação / CP
´O Homem das Multidões´ estreia nesta segunda-feira no Festival de Berlim
Crédito: Espaço Filmes / Divulgação / CP

O filme “O Homem das Multidões”, parceria do mineiro Cao Guimarães com o pernambucano Marcelo Gomes, fará sua estreia fora do Brasil na seção Panorama do Festival de Berlim 2014, nesta segunda-feira. Os dois diretores já participaram dos principais festivais de cinema, como Cannes, Veneza, Toronto, Locarno, San Sebastián, com outros títulos. Agora é a vez de Berlim apresentar a mais recente produção da dupla.

O filme é uma coprodução entre Minas Gerais e Pernambuco e foi todo realizado em locações no centro de Belo Horizonte. Resultado de quase sete anos de trabalho, o longa terá distribuição no Brasil pela Espaço Filmes, com previsão de estreia para 2 de maio. O filme é livremente inspirado no conto “The Man Of The Crowd”, do escritor norte-americano Edgar Allan Poe e acompanha o cotidiano de Juvenal (Paulo André), solitário maquinista de metrô. 



Juvenal se mistura ao aglomerado de pessoas do centro de uma grande metrópole, em busca das companhias que ele não tem na sua vida particular. Para narrar visualmente a história, o longa-metragem adota a razão de aspecto (aspect ratio) de 3 x 3. A proporção quadrada da imagem foi “inventada” pelos realizadores para transmitir, com imediata e constante regularidade durante a narrativa, os estados internos de Juvenal e Margô (Silvia Lourenço), no intuito de criar um tipo de “claustrofobia da imagem”, segundo os diretores. A produção, distribuição e finalização tiveram orçamento total de R$ 1,8 milhão, viabilizado com patrocínios.

Assista ao trailer:


Bookmark and Share


Fonte: Correio do Povo






O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.