Porto Alegre, sábado, 20 de Dezembro de 2014

  • 04/03/2014
  • 18:10
  • Atualização: 18:26

Mocidade Alegre é tricampeã do Carnaval de São Paulo

Rosas de Ouro foi a segunda colocada e Águia de Ouro ficou em terceiro

Escola falou a fé, a religiosidade e o sobrenatural | Foto: Nelson Almeida / AFP / CP

Escola falou a fé, a religiosidade e o sobrenatural | Foto: Nelson Almeida / AFP / CP

  • Comentários
  • Agência Brasil e AE

A Escola de Samba Mocidade Alegre venceu o carnaval de Sâo Paulo e conquistou o tricampeonato. Com o samba-enredo sobre a fé, a religiosidade e o sobrenatural, a agremiação alcançou 269,7 pontos, três décimos a mais que a segunda colocada, a Rosas de Ouro. O terceiro lugar ficou com a Águia de Ouro. 

A Mocidade Alegre apostou em um enredo sobre a fé para conquistar o tri. "Em 2013, ganhamos o bicampeonato, mas passamos por uma apuração muito apertada. Foi um sofrimento muito grande porque foi tudo definido por décimos. Depois daquilo, a presidente Solange Cruz teve a ideia de fazermos um enredo sobre a fé", contou o carnavalesco Sidney França.

Com muito dourado e branco nos adereços, a Mocidade Alegre fez um desfile que empolgou o público. A escola, no entanto, teve que correr no fim da apresentação. Na área da dispersão, membros da direção estavam apreensivos com o horário. A dois minutos do horário limite, que é de uma hora e cinco minutos, a presidente da escola precisou ser amparada por agentes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

A escola conseguiu desfilar em cravados 65 minutos. "Graças a Deus deu tempo", disse a presidente Solange Cruz, que foi atendida no posto médico mas retornou ao desfile. Seu desfile contou com mais de 3 mil componentes.

A escola campeã, do Bairro do Limão, na zona Norte da capital paulista, realizou uma manobra ousada em seu desfile, que chamou a atenção do público: os integrantes de todas as alas se ajoelharam sincronizados na avenida em uma das paradas da bateria. Desde 1967, quando foi fundada, a Mocidade Alegre conquistou os títulos em 1971, 1972, 1973, 1980, 2004, 2007, 2009, 2012, 2013 e 2014.

A Liga Independente das Escolas de Samba manteve, neste ano, a apuração das notas longe do público. A medida, já adotada em 2013, foi tomada para evitar tumultos, como o ocorrido em 2012, no final da apuração, quando um integrante de uma das agremiações pulou o alambrado e rasgou os papéis que definiriam a escola campeã. Uma confusão generalizada instalou-se no Sambodrómo e outros integrantes de escolas de samba também começaram a invadir o local onde os votos estavam sendo lidos, jogando os papéis com os votos dos jurados para o alto. A polícia tentou conter o tumulto, afastando as pessoas da área reservada.

Os simpatizantes das agremiações tiveram que acompanhar a apuração das notas nas quadras das escolas de samba. Segundo o regulamento da Liga, todas as agremiações foram obrigadas a abrir suas quadras no momento da leitura das notas. O acesso à apuração, feita no Sambódromo, foi liberado somente para a imprensa, para os presidentes das agremiações e para nove convidados indicados por eles.

Na noite de sexta-feira e madrugada de sábado desfilaram as escolas Leandro de Itaquera; Rosas de Ouro; X-9 Paulistana; Dragões da Real; Acadêmicos do Tucuruvi; Vai-Vai e Tom Maior. Na noite de sábado e madrugada de domingo foi a vez da Pérola Negra; Gaviões da Fiel; Mocidade Alegre; Nenê de Vila Matilde; Águia de Ouro; Império de Casa Verde eAcadêmicos do Tatuapé.

As bilheterias do Anhembi serão abertas na quarta-feira para a venda de ingressos para o desfile das campeãs na sexta-feira.

Bookmark and Share


TAGS » Carnaval, São Paulo