Correio do Povo

Porto Alegre, 24 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
12ºC
Amanhã
14º


Faça sua Busca


Arte & Agenda > Variedades

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

08/04/2014 08:00 - Atualizado em 08/04/2014 09:02

Tragédias gregas de Ésquilo estreiam hoje em Caxias do Sul

Peças gratuitas são exibidas no Teatro Municipal Pedro Parenti

Peça traz compilação de tragédias de Esquilo em leitura provocativa<br /><b>Crédito: </b> Julieta Bacchin / Divulgação / CP
Peça traz compilação de tragédias de Esquilo em leitura provocativa
Crédito: Julieta Bacchin / Divulgação / CP
Peça traz compilação de tragédias de Esquilo em leitura provocativa
Crédito: Julieta Bacchin / Divulgação / CP

Caxias do Sul recebe desta terça até quinta-feira a turnê de “Peep Classic  Ésquilo”, com as seis peças do dramaturgo grego considerado como o pai do teatro mundial, Ésquilo. As apresentações são gratuitas "a distribuição de senhas ocorrerá duas horas antes no local", a partir das 20h, no Teatro Municipal Pedro Parenti (rua Dr. Montaury, 1333).

A viagem da Cia. Club Noir pelo Rio Grande do Sul, que começou neste mês, em Passo Fundo, encerra em Porto Alegre, de 16 a 18, no mesmo horário, no Museu do Trabalho (Andradas, 230). Com adaptação e direção de Álvaro Alvim, as montagens estiveram na capital gaúcha no último Porto Alegre em Cena e agora voltam pelo projeto Petrobras Cultura, que coloca em cena todas as tragédias do autor. Serão duas peças por dia, na iniciativa inédita no Brasil de um grupo montar todas as obras do primeiro autor da história do teatro. O objetivo é proporcionar uma
experiência estética imprevisível e autônoma, através do diálogo com obras de arte localizadas fora de qualquer
tempo específico ou contexto cultural. “As obras serão apresentadas de maneira surpreendente, que potencializa
radicalmente a pesquisa da companhia: todas as obras serão encenadas dentro de um cubo formado por linhas
metálicas, sem trilha sonora alguma, explorando as inúmeras modulações e texturas das vozes dos atores, e tendo
como iluminação apenas uma única lâmpada fluorescente, que delineia tenuemente a imobilidade das figuras em cena”, explica o diretor do grupo paulista, Roberto Alvim.

As peças integram “Sete Contra Tebas”, obra que conduz à escolha pela morte como forma de se irmanar ao medo do implacável, na história de um exército comandado por sete guerreiros monstruosos, que tentam invadir e destruir a cidade de Tebas. “Os Persas” retrata o dilaceramento de uma civilização, quando os persas, liderados por Xerxes, aniquilam os gregos. “Oresteia” é a obra final do autor, composta pelas tragédias “Agamêmnon”, “As Coéforas” e “As Eumênides”. O rei Agamêmnon retorna a Troia, após ter vencido a guerra e é morto por sua esposa, Clitemnestra. Seu filho, Orestes, volta para casa para vingar a morte do pai e assassina a mãe, ficando louco e fugindo. “As Suplicantes” traz um grupo de mulheres, fugindo desesperadamente de um grupo masculino que quer desposá-las, refugiando-se em um país estrangeiro. E “Prometeu” traz o deus que é acorrentado no alto de uma montanha, por dar fogo aos homens.

Bookmark and Share


Fonte: Correio do Povo






O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.