Correio do Povo

Porto Alegre, 20 de Agosto de 2014


Porto Alegre
Agora
17ºC
Amanhã
13º 28º


Faça sua Busca


Arte & Agenda > Variedades > Música

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

12/04/2014 09:20 - Atualizado em 12/04/2014 09:41

Vanessa da Mata comemora lançamento de "Segue o Som"

Álbum da cantora está mais poético e textual

Vanessa da Mata prepara lançamento de novo disco e livro<br /><b>Crédito: </b> Marcos Hermes / Divulgação / CP
Vanessa da Mata prepara lançamento de novo disco e livro
Crédito: Marcos Hermes / Divulgação / CP
Vanessa da Mata prepara lançamento de novo disco e livro
Crédito: Marcos Hermes / Divulgação / CP

Ela tem feito o povo brasileiro cantar, reviver clássicos e descobrir novas sonoridades poéticas. Vanessa da Mata canta e encanta e se embrenha hoje também pelo mundo das letras. Ela, que já lançou "Vanessa da Mata" (2002); "Essa Boneca Tem Manual" (2006); "Multishow ao Vivo" (2009); "Bicicletas, Bolos e Outras Alegrias" (2010); "Sim"(2007), e "Vanessa da Mata Canta Tom Jobim" (2013), guarda, com carinho, na prateleira de premiações o Grammy Latino de Melhor Álbum de Pop Contemporâneo Brasileiro e a indicação ao Grammy Latino de Melhor Canção Brasileira.

Mais poética e textual do que nunca, a menina que nasceu capricorniana no dia 10 de fevereiro em Alto Garças, no Mato Grosso, está comemorando o lançamento de seu novo trabalho "Segue o Som", pela Sony Music Entertainment, e torna-se um dos fortes nomes na gangorra da MPB contemporânea, livre, leve e solta. Após interromper sua produção autoral para divulgar em julho do ano passado um disco em homenagem a Tom Jobim, a cantora Vanessa da Mata lançou no final do mesmo ano seu primeiro romance, "A Filha das Flores", pela Companhia das Letras. O livro traz a história de Giza, uma menina que vive numa cidade de interior com a família que cultiva e vende flores.

Em entrevista ao Correio do Povo, Vanessa conta que criou o livro em um ano e meio. "Quando eu começo a escrever não consigo parar. Realmente tive um despejo de ideias muito intenso", diz a degustadora de livros, como se autodenomina. "Leio e releio o livro que gosto", diz. A protagonista de "A Filha das flores" vive em um universo semelhante ao da infância da cantora em Alto Garças. Vanessa, no entanto, já revelou que sofreu muito quando criança. Perdeu um rim, teve toxoplasmose, febre reumática, cólicas renais absurdas. Seu melhor remédio para não entrar em depressão infantil era ler.

Sobre "Segue o Som", a própria escolha do nome não é algo hermético: "Na verdade eu não fico escravizada por ter o mesmo título do CD e de uma música", comenta, revelando que não acredita que o nome possa sintetizar o disco inteiro. "Segue o Som" é dinâmico, flui e não dispersa de seu ponto de partida: seguir o espaço-tempo e a linguagem. Dá para perceber o resultado do exercício das letras que Vanessa, ao escrever seu primeiro livro, exportou para a poesia do CD. "Gosto de escrever e falar uma história que pode se prolongar", pontua. "Escrevo coisas mais longas."

Depois do livro, a condução em palavras e uma escrita mais amadurecida permeiam o trabalho das letras junto às sonoridades do CD. "Não é o mesmo escrever letra de música do que livro", se posiciona. Lidar com o idioma e contar história mobilizou a artista. E sentencia: "É mais difícil escrever música do que escrever livro", referindo-se à exigência da métrica que orienta som e palavra. "Peco mais pelo exagero do assunto do que pela falta de texto", diz a leitora de Quintana a Garcia Marquez.

Bookmark and Share


Fonte: Marcos Santuario / Correio do Povo






O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.