Porto Alegre, sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014

  • 24/05/2014
  • 15:35
  • Atualização: 16:33

Espetáculo conta história de Lupicínio Rodrigues

Na programação do centenário do compositor e cantor, musical faz elogio à paixão

  • Comentários
  • Correio do Povo

A história do homem por trás das músicas de Lupicínio Rodrigues é o mote de “Lupi, o Musical Uma Vida em Estado de Paixão”, cuja estreia ocorrerá dia 31 de maio, às 21h, e 1 de junho, a partir das 18h, no Theatro São Pedro. Sobem ao palco dez atores, sendo Gabriel Pinto o músico em sua juventude e Juliano Barreto - criador do projeto - o poeta aos 59 anos, além de sete músicos para executar as 21 canções.

“Lupicínio era muito mais do que um músico que falava sobre a dor de cotovelo. Nossa intenção é contar a história do artista, mas também do pai, amigo, amante”, revela o diretor Artur José Pinto. O espetáculo apresenta o ícone da MPB em situações conhecidas e também inéditas: um soldado jovem, sentado em uma praça, em Santa Maria; um aprendiz de mecânico da Cia. Carris; um boêmio de segunda a sexta e homem de família nos finais de semana, que adorava receber familiares na chácara da zona Sul. Contribuíram na pesquisa o filho, Lupinho, e o jornalista Marcello Campos, estudioso de Porto Alegre antiga e de Lupicínio Rodrigues. No repertório, “Felicidade”, “Nervos de Aço” e “Se Acaso Você Chegasse”, das 150 gravadas por Lupicínio e 600 que compôs. Mathias Pinto assina a direção musical e os arranjos.

Reverenciado no Brasil, e interpretado por Caetano Veloso e Jamelão, seus versos eram de uma sofisticação ímpar, assim como o tratamento dado a cada tema que abordava, sendo vencedor fora do eixo Rio-São Paulo, com sua voz macia, numa época de vozeirões. Também no palco, Nadya Mendes, Cíntia Ferrer, Lucas Krug, Mario de Ballentti etc.

Bookmark and Share