Porto Alegre, segunda-feira, 22 de Dezembro de 2014

  • 02/07/2014
  • 11:07
  • Atualização: 11:18

Volta de Monty Python entusiasma velhos fãs

Show foi o primeiro de dez apresentações após 30 anos de separação

Grupo realizou nova apresentação após 30 anos de separação | Foto: Justin Tallis / AFP /CP

Grupo realizou nova apresentação após 30 anos de separação | Foto: Justin Tallis / AFP /CP

  • Comentários
  • AFP

O grupo de comédia britânico Monty Python levantou os fãs que foram nessa terça-feira presenciar seu reencontro e volta aos palcos, após mais de 30 anos de separação. John Cleese, Terry Gilliam, Eric Idle, Terry Jones e Michael Palin, já septuagenários (Graham Chapman, o sexto Pyton, morreu vítima de câncer em 1989), ofereceram nesta terça a primeira de dez apresentações de despedida. Desta vez, "definitiva", prometeram.

O espetáculo "Monty Phyton Live (mostly)" é uma produção de 7,7 milhões de dólares com direito a piadas, canções e números de dança, algo que parece excessivo para os idosos. Os ingressos para a primeira noite acabaram em 44 segundos em novembro. Mas imediatamente o grupo anunciou mais nove apresentações, com 14 mil entradas por noite, praticamente esgotadas.

A noite acabou com o grupo e os 14 mil espectadores cantando "Always Look on the Bright Side of Life", canção de encerramento do filme "A vida de Bryan", a comédia inspirada na vida de Jesus que causou escândalo na época.
Muitos espectadores compareceram na Arena 02 do leste de Londres fantasiados dos personagens favoritos do grupo, dos membros da Inquisição espanhola  (um de seus principais objetos de piada) aos cavaleiros medievais.

"Foi brilhante, melhor do que esperava", disse David Mallinson, de 48 anos, que foi de Manchester, acompanhado dos dois filhos, para ver o show. "Chorei de rir. O clima foi formidável". Seu filho James, de 17 anos, acrescentou: "quando eles esqueciam do texto e riam das próprias piadas deixou o show ainda melhor". "A ideia de compartilhar o mesmo espaço e lembrar os mesmos diálogos é um grande acontecimento", afirmou Dan Stead, um técnico em
informática de Leeds, no norte da Inglaterra. Richard Hillier, um diretor de marketing de Londres, de 39 anos, disse que aproveitou cada minuto. "Foi muito bom, mas acabou muito rápido. Por sorte, tenho entradas para mais duas noites!", acrescentou.

No espetáculo, eles interpretaram seus números mais populares, entre eles o do papagaio morto - uma hilária discussão entre um vendedor de animais que passa um animal morto para um cliente (e os da Inquisição espanhola).

A última apresentação, em 20 de julho, que será exibida em cinemas de todo o mundo, será uma despedida definitiva, segundo Cleese. O grupo ganhou fama com o programa de televisão "Monty Phyton's Flying Circus", que teve o primeiro episódio exibido em 5 de outubro de 1969. Na década de 1970, eles investiram no cinema, com "E agora para algo completamente diferente" (1971), que foi seguido por "Monty Python em busca do cálice sagrado" (1975).

 Em 1979, lançaram "A Vida de Brian", uma comédia que narra a vida de um homem com uma vida paralela à de Jesus. O último filme do grupo foi "O Sentido da Vida", em 1983, ano da separação. Em 1998, o grupo retornou para uma apresentação em um festival de humor nos Estados Unidos.


Bookmark and Share