Correio do Povo | Notícias | Pintura de David Hockney deve quebrar recordes de leilão

Porto Alegre

23ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 18 de Novembro de 2018

  • 13/09/2018
  • 16:28
  • Atualização: 14:48

Pintura de David Hockney deve quebrar recordes de leilão

"Portrait of an Artist (Pool with two figures)" pode se tornar trabalho mais caro de um artista vivo

Obra foi apresentada em coletiva de imprensa na Christie´s em Nova Iorque  | Foto: Timothy A. Clary / AFP / CP

Obra foi apresentada em coletiva de imprensa na Christie´s em Nova Iorque | Foto: Timothy A. Clary / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

Uma icônica pintura a óleo do artista britânico David Hockney, estimada em 80 milhões de dólares, será vendida em Nova Iorque. Conforme a Christie's, "Portrait of an Artist (Pool with two figures)" será leiloada em novembro e pode estabelecer um novo recorde de leilão como trabalho mais caro de um artista vivo, ultrapassando a marca alcançada por "Ballon Dog (Orange)", de Jeff Koons.

Copresidente da casa de leilões, Alex Rotter chamou o quadro de "uma das grandes obras-primas da era moderna". Rotter tambéu considerou que a pintura representa o "ápice" dos dois motivos mais célebres do artista pop britânico: a água brilhante de uma piscina e o retrato duplo com duas pessoas interagindo.

Na obra, um homem bem vestido, parado no limite da piscina, olha pensativo para outra figura nadando em sua direção, com uma vista idílica da montanha ao fundo. O primeiro homem pintado por Hockey retrata seu ex-amante e muso, Peter Schlesinger, que foi seu aluno na Universidade da Califórnia, em Los Angeles. A pintura remonta a 1972, ano em que o grande caso de amor entre eles terminou. Por isso, o nadador poderia ser o novo amor de Peter, segundo Rotter.

Uma das obras mais célebres de Hockney, "Portrait of an Artist (Pool with two figures)" apareceu na capa de várias monografias sobre o artista e fez parte de uma retrospectiva internacional dedicada ao artista para celebrar seu 80º aniversário em 2017. "Desde Tate (em Londres) até o Centro Pompidou (em Paris) e o Metropolitan Museum (em Nova Iorque), esta pintura sempre foi um destaque", afirmou Rotter.

Embora a Christie's tenha se recusado a revelar a identidade do vendedor, a Bloomberg e o site Artnet informaram que era propriedade do bilionário britânico Joe Lewis, dono do Tavistock Group, do time de futebol Tottenham Hotspur. A Forbes estima sua fortuna em 5 bilhões de dólares.