Correio do Povo | Notícias | Oprah anuncia "um novo tempo" para mulheres vítimas de abusos

Porto Alegre

24ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sexta-feira, 20 de Julho de 2018

  • 08/01/2018
  • 07:24
  • Atualização: 14:29

Oprah anuncia "um novo tempo" para mulheres vítimas de abusos

Atriz citou homens e mulheres negras que marcaram história da luta contra racismo e abuso sexual

Oprah, destaque do Globes, anuncia

Oprah, destaque do Globes, anuncia "um novo tempo" para mulheres vítimas de abusos | Foto: Kevin Winter / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

Oprah Winfrey fez no domingo um contundente discurso contra o abuxo sexual ao ser homenageada pelo conjunta de sua carreira na premiação do Globo de Ouro no domingo à noite. Segundo ela, "chegou um novo dia para as meninas e mulheres vítimas" do abuso sexual. Atriz, produtora e apresentadora de tv, Oprah reiterou publicamente seu apoio ao movimento #MeToo, que abalou os alicerces de Hollywood depois que foi revelado o comportamento abusivo do magnata cinematográfico Harvey Weinstein.

• "Big Little Lies" e "Três Anúncios Para um Crime" são os principais vencedores do Globo de Ouro

Em seu discurso, ela prestou homenagem a Recy Taylor, uma mulher negra que, em 1944, denunciou ter sido estuprada por um grupo de homens branco e que morreu há algumas semanas. A apresentadora lamentou a "cultura corrompida por homens brutalmente poderosos". "Durante muito tempo, as mulheres não foram ouvidas e não se acreditava nelas quando se atreviama contar a verdade sobre sses homens. Mas esse tempo acabou!", proclamou, entre vigorosos aplausos do público. "Por isso quero que todas as meninas que estão vendo isso saibam que existe um novo dia no horizonte", destacou.

"E, quando finalmente amanhecer, será graças a muitas mulheres magníficas - muitas das quais estãon aqui esta noite - e muitos homens maravilhosos, que vão lutar duro para se converter nos líderes que nos levarão a tempos em que ninguém terá de dizer 'eu também'", acrescentou.

A atriz de 63 anos também mencionou a imprensa, que teve um papel-chave nos últimos meses para revelar a má conduta sexual de inúmeros atores, diretores e produtores de Hollywood. "Quero dizer que valorizo a imprensa mais do que nunca nesses tempos complicados", concluiu.

Confira um dos trechos mais impactantes do discurso da atriz:

“Rosa Parks se tornou a principal investigadora em seu caso e juntas elas procuraram justiça. Mas justiça não era uma opção na era de Jim Crow. Os homens que tentaram destruí-la nunca foram processados. Recy Taylor morreu dez dias atrás. Ela viveu, como todos vivemos, muitos anos numa cultura quebrada por homens brutalmente poderosos. Por muito tempo, mulheres foram desacreditadas se ousavam falar suas verdades contra o poder desses homens. Mas o tempo deles acabou. E eu só espero que Recy Taylor tenha morrido sabendo que sua verdade, como a verdade de tantas outras mulheres que foram atormentadas naqueles anos, e que são até hoje atormentadas, continua viva. Estava em algum lugar no coração de Rosa Parks, quase 11 anos depois, quando ela tomou a decisão de ficar sentado no ônibus em Montgomery, e está aqui com todas as mulheres que escolhem dizer ‘eu também’. E em cada homem que escolhe ouvir. Na minha carreira, o que sempre tentei fazer, seja na televisão ou no cinema, é dizer algo sobre como homens e mulheres realmente se comportam. Dizer como vivenciamos vergonha, como amamos e como nos enfurecemos, como falhamos, como recuamos, perseveramos e como superamos. Entrevistei e mostrei pessoas que resistiram às coisas mais feias que a vida pode jogar em você, mas a qualidade que todas elas parecem compartilhar é a capacidade de manter a esperança por uma manhã mais brilhante, mesmo durante nossas noites mais sombrias. Então eu quero que todas as garotas assistindo aqui, agora, saibam que um novo dia está por vir! E quando esse novo dia finalmente chegar, será por causa de muitas mulheres magníficas, muitas das quais estão aqui conosco nesta noite e alguns homens bastante fenomenais, lutando para garantir que se tornem os líderes que nos levem ao tempo em que ninguém nunca mais precise dizer ‘eu também’.”