Correio do Povo | Notícias | Suspense dinamarquês "Culpa" acompanha sequestro

Porto Alegre

21ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sábado, 19 de Janeiro de 2019

  • 27/12/2018
  • 13:49
  • Atualização: 14:26

Suspense dinamarquês "Culpa" acompanha sequestro

Título é um dos pré-finalistas da categoria de melhor filme de língua estrangeira do Oscar 2019

Na trama, policial atende uma ligação, subitamente cortada, de uma mulher sequestrada | Foto: Nikolaj Moller / Divulgação / CP

Na trama, policial atende uma ligação, subitamente cortada, de uma mulher sequestrada | Foto: Nikolaj Moller / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

Uma das estreias nos cinemas nesta quinta é "Culpa", longa de estreia do diretor Gustav Möller. Este título foi o escolhido para representar a Dinamarca na categoria de Melhor Filme de Língua Estrangeira do Oscar 2019 e já foi confirmado pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood entre os pré-finalistas.

A trama traz um policial, Asger Holm (Jakob Cedergren), que já trabalhou nas ruas de Copenhague, mas por um período foi designado a ficar em uma mesa, atendendo chamadas de emergência no departamento de monitoramentos. É neste espaço confinado que atende uma ligação, subitamente cortada, de uma mulher sequestrada.

Aí começa a busca pela vítima e seu sequestrador. Tendo o telefonema como sua única pista, Asger entra em uma corrida contra o tempo para salvá-la, mas ele logo percebe que está lidando com um crime que é muito maior do que ele pensava.

Este suspense tem recebido prêmios por onde passa, como no Festival de Toronto, onde ganhou o prêmio do júri popular. Foi exibido na 42ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo; no Festival de Cinema do Rio de Janeiro e no 6º Festival Internacional de Cinema de Brasília, onde levou o prêmio de Melhor Filme do Júri Oficial e Melhor Filme, segundo voto popular.

“Eu tive a ideia para o filme quando, por acaso, me deparei com uma ligação real do 911 de uma mulher sequestrada. A mulher estava dentro de um carro e, como estava sentada ao lado de seu sequestrador, falava em códigos. No começo eu estava apenas preso ao suspense da ligação, como qualquer ouvinte faria. Mas então comecei a refletir sobre o que a tornava tão intrigante”, diz o diretor.

Veja o trailer:


TAGS » Cinema, Filme, Variedades