Correio do Povo | Notícias | Petrônio Gontijo comemora seu primeiro grande personagem no cinema em "Nada a Perder"

Porto Alegre

26ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quinta-feira, 24 de Janeiro de 2019

  • 27/03/2018
  • 07:11
  • Atualização: 07:28

Petrônio Gontijo comemora seu primeiro grande personagem no cinema em "Nada a Perder"

Ator interpreta Edir Macedo no filme

Petrônio Gontijo comemora seu primeiro grande personagem no cinema em

Petrônio Gontijo comemora seu primeiro grande personagem no cinema em "Nada a Perder" | Foto: Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

Aos 49 anos de idade e três décadas de carreira, Petrônio Gontijo encara o seu primeiro protagonista no cinema em “Nada a Perder”, cinebiografia do bispo Edir Macedo, dirigida por Alexandre Avancini, que estreia nesta quinta em 1,3 mil salas do país. Para viver o personagem, Petrônio perdeu oito quilos e teve que utilizar próteses para reproduzir a deficiência nos polegares de Macedo.

“Foi uma honra, uma felicidade e um grande desafio este papel em minha carreira. Nas cenas em que eu precisava usar as mãos, eu tive que treinar muito, reaprender a pegar objetos, como copos e xícaras, reaprender a escrever sem o auxílio dos polegares”, afirma Gontijo, que antes deste papel viveu Aarão, irmão de Moisés na novela de sucesso da Record TV, que depois virou filme, “Dez Mandamentos”. “Aarão era forte, parrudo. Tive que perder o tônus muscular e mudar o modo de me portar, de andar. Tive ajuda de uma equipe durante seis meses. Estudei vídeos de Edir Macedo e tive dois encontros com ele”, revela o ator.

A respeito destes encontros, o ator lembra que “ele me deu total liberdade de interpretação. Eu pude criar, participar e compreender cada situação. Não quis imitar ou fazer uma cópia. Para isso, tive todo o apoio do Alexandre Avancini no set”. O diretor Alexandre Avancini ressalta que Petrônio Gontijo “tem profundidade e tem essa qualidade de humanizar os personagens que interpreta”.

Sobre o impacto da história de Edir Macedo em sua vida, Gontijo observa que, lendo os três livros da biografia “Nada a Perder”, ele chegou à conclusão que “não é apenas a história de um homem, mas é sobre como um homem, firme em suas convicções, consegue se manter em pé, enfrentar as adversidades e crescer, mesmo sofrendo um massacre dos poderes políticos e da opinião pública”.

A gigantesca empreitada da produção do filme, com filmagens durante nove semanas no Brasil e exterior, é destacada pelo ator. “Eram 12 horas diárias de total concentração. Todos 100% atentos, prontos. Todos os dias foram grandes empreitadas. Às vezes dizer um ‘bom dia’ pode ser mais difícil do que uma grande cena. O filme exigiu uma enorme concentração de minha parte. É um filmaço que fala de amor, dificuldades, acertos e erros”, destaca, acrescentando: “E, principalmente, como este homem fez para encarar as adversidades que ele passou”. No elenco, estão também Day Mesquita, Dalton Vigh e Eduardo Galvão.

Confira o trailer: