Correio do Povo | Notícias | Homenageada com Kikito de Cristal, Natalia Oreiro declara seu amor pelo Brasil

Porto Alegre

24ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 14 de Novembro de 2018

  • 22/08/2018
  • 17:36
  • Atualização: 00:27

Homenageada com Kikito de Cristal, Natalia Oreiro declara seu amor pelo Brasil

Atriz receberá homenagem na noite desta quarta-feira no 46º Festival de Cinema de Gramado

Atriz uruguaia receberá homenagem na noite desta quarta-feira no 46º Festival de Cinema de Gramado | Foto:  Edison Vara / Pressphoto /  Divulgação / CP

Atriz uruguaia receberá homenagem na noite desta quarta-feira no 46º Festival de Cinema de Gramado | Foto: Edison Vara / Pressphoto / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Lou Cardoso

A uruguaia Natalia Oreiro receberá, na noite desta quarta-feira, o Kikito de Cristal no 46º Festival de Cinema de Gramado. A homenagem é dedicada para atores do cinema latino-americano e a atriz segue representando as mulheres no recebimento deste troféu. Depois de Cecilia Roth (2016) e Soledad Villamil (2017), Natalia é primeira uruguaia a receber o troféu. Para ela, é gratificante a lembrança do evento e incentivou que mais mulheres recebam a homenagem.

“Estou muito orgulhosa em ser a terceira mulher a receber o troféu. O Brasil é um País muito avançado com muitas mulheres realizadoras que estão proporcionando grandes películas ultimamente”, disse. Ela declarou amor pelo País e relembrou de momentos especiais como seu casamento em Fernando de Noronha. "Amo o Brasil. É um País que tem uma importância emocional", completou.

A cinebiografia “Gilda - No me Arrepiento de Este Amor" (2016) é considerada a sua obra mais conhecida. O filme narra a trajetória da cantora e compositora de cumbias que morreu tragicamente em 1996. Além de atriz, Natalia também é cantora e disse ser fã da música brasileira. Ela citou Marisa Monte como uma das suas preferências "O Brasil tem uma repercussão muito forte. Ele se expandiu com a música", afirmou.

Natalia também trabalhou novelas na Argentina, país onde mora, e comentou que no Brasil não existe o preconceito com atrizes que trabalham nos dois formatos audiovisuais. “Eu sou atriz e não importa o formato. Meu ofício não modifica a interpretação. Meu compromisso são com os dois", explicou.

A atriz conversou com a imprensa na fábrica Cristais de Gramado, onde também deu início à fabricação do troféu artesanal que será entregue ao homenageado no ano que vem.