Correio do Povo | Notícias | Equipe de "Ferrugem" reforça conscientização do uso da internet entre jovens

Porto Alegre

19ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 26 de Setembro de 2018

  • 22/08/2018
  • 19:19
  • Atualização: 19:54

Equipe de "Ferrugem" reforça conscientização do uso da internet entre jovens

Filme foi exibido nessa terça-feira no 46º Festival de Cinema de Gramado

Equipe do filme

Equipe do filme "Ferrugem" debatendo sobre o longa exibido no Festival de Cinema de Gramado | Foto: Fabio Winter / Pressphoto / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Lou Cardoso

Grupos de WhatsApp são as maiores fontes de vazamentos de momentos íntimos na internet. Um simples deslize é motivo para uma humilhação que marca negativamente a vida de alguém. Especialmente mulheres. É o que acontece em "Ferrugem", longa do diretor Aly Muriati, exibido nessa terça-feira no 46º Festival de Cinema de Gramado, que retrata as consequências constrangedoras de um vídeo vazado em grupos de adolescentes.

Segundo o diretor, o filme foi feito para dialogar com os jovens, visto que eles só sabem se comunicar através do audiovisual ultimamente. "O filme fala de questões como machismo, misoginia, o uso irresponsável da internet, que estão sendo debatidas pelos adultos, mas que precisa chegar aos jovens", disse. "Fazer "Ferrugem", de certo modo, é uma tentativa de falar com os meus filhos e com a sua geração. De uma maneira que eles possam entrar nessa conversa e isso não iria acontecer se eu tivesse uma conversa intelectual", acrescentou Muriati.

Os atos de Renet, personagem de Giovanni De Lorenzi, são uma representação do comportamento da juventude atual, declarou Muriati. "Os meninos não estão sendo educados com responsabilidades. Os pais passam a mão na cabeça e os deixam superprotegidos. Eles não foram educados para assumirem os seus atos e acabam sendo inconsequentes", afirmou.

O próprio De Lorenzi reconheceu que o filme é uma forma do público repensar sobre o que tem feito online. "O filme quer conscientizar o que você posta na internet. O anonimato dá a ilusão que você pode falar o que quiser, da maneira que quiser, porque para eles, é liberdade de expressão", relatou. "Ninguém pensa nas consequências que isso causa, não só para você, mas com outras pessoas. É falta de sensibilidade achar que isto não vai chegar até você. Para Renet, elas vieram mesmo."

A atriz Tiffany Dopke espera que o filme possa causar empatia para as meninas que sofrem com este tipo de situação. "Ninguém pensa o que está acontecendo dentro da cabeça daquela pessoa, mas o que está repercutindo ou o que está dando comentário. O filme vai ajudar muita gente se colocar no lugar destes personagens e com o que eles estão lidando", declarou. 

Os atores, inclusive, lançaram a campanha "E agora que você sabe?" sobre qual será a reação da população quando receber um vídeo particular na internet.