Correio do Povo | Notícias | Porto Alegre recebe exposição inédita sobre o Holocausto a partir desta quinta

Porto Alegre

23ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quinta-feira, 13 de Dezembro de 2018

  • 11/05/2016
  • 18:14
  • Atualização: 18:19

Porto Alegre recebe exposição inédita sobre o Holocausto a partir desta quinta

Projeto conta a história de judeus sobreviventes que vieram para o Brasil

Retratos e imagens de objetos e documentos fazem parte da mostra | Foto: Divulgação / CP

Retratos e imagens de objetos e documentos fazem parte da mostra | Foto: Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

A partir desta quinta-feira, Porto Alegre recebe uma exposição inédita sobre o Holocausto. Intitulada “Viventes”, a mostra apresenta o trabalho de um projeto de preservação da memória do período de extermínio promovido pelo regime nazista.

A iniciativa reuniu 29 judeus sobreviventes que vieram morar no Brasil e que contaram os detalhes do terror pelo qual passaram durante a Segunda Guerra Mundial. Idealizada pela fotógrafa Marian Starosta e com curadoria de Eder Chiodetto, a exposição parte de uma ideia simples: confrontar as vivências das novas gerações com a experiência de vida destas pessoas em foco, gerando empatia por meio da sensibilidade artística.

A mostra, portanto, é uma instalação construída a partir de histórias orais, de retratos dos sobreviventes e do contexto em que vivem até hoje. Fotografias de objetos e documentos registrados em visitas a cada um deles também compõem o ambiente da exposição.

O primeiro entrevistado do projeto foi Aleksander Henryk Laks, presidente da Associação Brasileira dos Israelitas Sobreviventes da Perseguição Nazista, que morreu no ano passado em decorrência de uma infecção pulmonar. Dentre as outras histórias que serão contadas, além da trajetória de Laks, está a da polonesa Miriam Brik Nekrycz, que revelou como foi sua fuga diante do assassinato de seus familares.

“Viventes” fica em cartaz até o dia 19 de junho, na Galeria dos Arcos da Usina do Gasômetro (João Goularte, 551), como parte da FestFotoPoa. A entrada é gratuita e a visitação pode ser feita de terça a sexta-feira, das 9h às 21h, e sábado e domingo, das 10h às 21h.

Depois da Capital, o projeto segue ainda para o Rio de Janeiro, onde participará do FotoRio. Ainda neste ano, a iniciativa ganhará um livro, que terá, além das fotografias de Marian Starosta, diversos textos, assinados por nomes como o rabino Nilton Bonder, a artista Leila Danziger e a historiadora Laura Trachtenberg.