Correio do Povo | Notícias | "Fotógrafo das estrelas", Mario Testino é acusado de assédio sexual

Porto Alegre

10ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sábado, 21 de Julho de 2018

  • 13/01/2018
  • 19:49
  • Atualização: 20:26

"Fotógrafo das estrelas", Mario Testino é acusado de assédio sexual

Treze pessoas fizeram acusações contra o peruano em reportagem do The New York Times

Peruano de 63 é um dos fotógrafos preferidos da Família Real britânica | Foto: Miguel Medina / AFP / CP

Peruano de 63 é um dos fotógrafos preferidos da Família Real britânica | Foto: Miguel Medina / AFP / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

O "fotógrafo das estrelas" Mario Testino, uma referência no mundo da moda e das celebridades, foi acusado de assédio sexual por 13 pessoas citadas em uma reportagem do New York Times publicada neste sábado. Este novo episódio do surto que atingiu o mundo do entretenimento desde as revelações do mesmo jornal sobre Harvey Weinstein traz citações de vários modelos, bem como ex-assistentes, que acusam o profissional de ter feito avanços sexuais. Eles afirmam que não cederam às tentativas.

Em resposta, a Lavely & Singer, escritório de advocacia que representa Testino, questionou a credibilidade dos relatos. Em um texto enviado ao periódico norte-americano, a empresa relata que os acusadores "não podem ser considerados fontes confiáveis", pois anteriormente já haviam falado bem deles. Também informou que representantes conversoaram com antigos funcionários, os quais se disseram "chocados com as alegações" e que "não poderiam confirmar nenhuma das reivindicações".

"Era um predador sexual", enfatizou Ryan Locke, modelo de estrela no final da década de 1990. Ele conta que durante uma sessão de fotos, Mario pediu a toda a equipe para sair da sala para se encontrar sozinho com ele e então teria se atirado nele. "Ele fechou a porta e a trancou. Então ele rastejaouna cama, subiu em mim e disse 'Eu sou a garota, você é o menino'. Eu joguei a toalha sobre ele, coloquei minha roupa e saí", contou Locke.

O ex-assistente do fotógrafo, Hugo Tillman, comentou que teve uma experiência semelhante. "Muitas vezes eu me sentia desconfortável nos estúdio, ele pedia para eu massageá-lo na frente de outros assistentes, modelos e editores de moda", contou. Uma noite depois de um jantar, o homem revelou que seu chefe o agarrou na rua e tentou beijá-lo. Poucas semanas depois, durante uma viagem de negócios, o fotógrafo tentou arragá-lo, jogou-o sobre a cama de um quarto de hotel e amarrou seus braços. O irmão de Testino teria então chegado no quarto e fez com que ele parasse.

Tillman comentou que Testino tinha um padrão de contratação de homens jovens, geralmente heterossexuais, e sujeitá-los a avanços cada vez mais agressivos. Já Taber, um modelo que trabalhou com Testino durante o final dos anos 1090 e início dos anos 2000 (ele usou apenas seu primeiro nome profissionalmente), afirmou o considerava um amigo, até que o fotógrafo colocou apertou sua bunda numa sessão e apareceu no quarto do hotel pedindo sexo. "Ele foi um mentor que deu um passo longe demais", analisou.

"O assédio sexual foi uma realidade constante", resumiu Roman Barrett, um antigo assistente durante os anos 1990, que disse que o fotógrafo esfregou a perna com uma ereção e se masturbou na frente dele. "Ele se comportava mal nos quartos de hotel e em vôos de primeira classe", recordou. "Então, as coisas voltavam ao normal, e isso fazia com que você se sentisse péssimo", lamentou.

Peruano de 63 anos, Testino fotografou em mais de 40 anos de carreira dezenas de campanhas publicitárias para grandes casas de moda e viu seus tiros em uma das mais prestigiadas publicações incluindo a renomada "Vogue". Ele tirou a foto da tenista Serena Williams com seu bebê para a capa da edição de fevereiro da revista, revelada esta semana. Ele também assinou retratos notáveis de celebridades, incluindo a foto de noivado oficial de Prince William e Kate Middleton e uma série de fotos da princesa Diana em 1997. Recentemente, Neymar posou para suas lentes numa sessão comemorativa dos dez anos da revista Man About Town.

No mesmo artigo, 15 modelos homens, entre ativos e já aposentados, acusam outro fotógrafo, Bruce Weber, de assédio sexual. No início de dezembro de 2017, ele já havia sido processado por agressão sexual pelo modelo Jason Boyce, mas negou as acusações. Em outubro do mesmo ano, várias revistas e grandes marcas de moda anunciaram que não mais trabalhariam com o fotógrafo Terry Richardson, conhecido por suas fotos provocativas e suspeito por anos de assediar sexualmente seus modelos.