Correio do Povo | Notícias | Evan Rachel Wood faz greve de fome contra política de migração dos EUA

Porto Alegre

28ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sábado, 17 de Novembro de 2018

  • 25/06/2018
  • 16:30
  • Atualização: 17:36

Evan Rachel Wood faz greve de fome contra política de migração dos EUA

Atriz participou de ação no Texas neste fim de semana para ajudar as famílias separadas na fronteira do país

Atriz afirma que medida é

Atriz afirma que medida é "um privilégio e não um sacrifício" | Foto: Reprodução / Instagram / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

A atriz Evan Rachel Wood, da série "Westworld", participou de uma ação no Texas neste fim de semana para ajudar as crianças separadas de seus pais na fronteira dos Estados Unidos. Durante a ação, a artista teve encontros com as famílias e doou alimentos. Além disso, também participou de uma greve de fome de 24 horas e de uma cadeia de oração que durará 24 dias, em homenagem às mais de 2.400 crianças atingidas pela política de "tolerância zero" do presidente Donald Trump.

Em entrevista à Revista People, a atriz afirmou que participar desta greve de fome é um "privilégio e não um sacríficio". "Isso é um pequeno preço a ser pago considerando o que as famílias estão passando", afirmou. Sobre o motivo de estar participando desta ação, Evan contou que queria "dar rostos a estas histórias". A atriz também documentou alguns dos momentos desta jornada em seu Instagram:

"Encontramos com algumas das famílias em um dos abrigos para onde as pessoas são enviadas enquanto estão sendo processadas ou aguardando deportação. Brinquei com as crianças por horas. Elas eram tão doces e insanamente inteligentes e criativas. Elas obviamente passaram por muito e precisam de suprimentos e remédios", dizia uma das postagens.

Na última quarta-feira, o presidente Donald Trump assinou um decreto que põe fim a separação de famílias que tentam entrar ilegalemente no Estados Unidos. Até agora, as autoridades conseguiram unir novamente 538 crianças, mas mais de 2 mil continuam detidas, conforme dados divulgados neste fim de semana pelo Departamento de Segurança Nacional.