Correio do Povo | Notícias | Katy Perry nega ter sido estuprada por Dr. Luke

Porto Alegre

28ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 21 de Novembro de 2018

  • 28/08/2018
  • 15:26
  • Atualização: 16:01

Katy Perry nega ter sido estuprada por Dr. Luke

Cantora prestou depoimento em processo do produtor contra Kesha

Em mensagens para Lady Gaga, Kesha teria acusado Dr. Luke de ter estuprado Katy Perry | Foto: Kevin Mazur / Divulgação / CP

Em mensagens para Lady Gaga, Kesha teria acusado Dr. Luke de ter estuprado Katy Perry | Foto: Kevin Mazur / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

Documentos revelados pela imprensa norte-americana nesta semana mostram que Katy Perry negou, em depoimento à Justiça, ter sido estuprada pelo produtor Dr. Luke, como é mais conhecido Lukasz Gottwald. As alegações se tornaram públicas em junho, quando uma troca de mensagens entre Kesha e Lady Gaga foi anexada ao processo movido por Dr. Luke contra Kesha. Nas mensagens, Kesha teria acusado o produtor de ter estuprado Katy Perry.

O depoimento de Katy Perry ocorreu no ano passado. De acordo com trechos dos documentos divulgados pela revista "Variety", a cantora afirmou que não foi estuprada nem agredida sexualmente por Dr. Luke. Ela também garantiu que nunca teve nenhum tipo de relação amorosa ou sexual com ele. 

Conforme os documentos, Lady Gaga também depôs e disse que ouviu de John Janick, CEO da Interscope, um boato de que Dr. Luke havia abusado de Katy Perry. "Ele disse que ouviu um rumor. Não me lembro exatamente o que ele disse. Eu só lembro que ele trouxe esse assunto", afirmou a cantora.

Representantes de Katy Perry, Lady Gaga e John Janick ainda não se manifestaram sobre a divulgação dos documentos. Os advogados de Kesha, no entanto, emitiram um comunicado explicando que a cantora "nunca afirmou ter qualquer conhecimento sobre um suposto abuso a Katy Perry". "Dr. Luke está processando Kesha com base em uma mensagem privada e individual, que Kesha enviou a Lady Gaga em 2016, logo depois que o CEO da Interscope, John Janick, disse a Kesha e Gaga que tinha ouvido um boato sobre Dr. Luke também ter abusado de Katy Perry. A declaração de Janick foi discutida em particular entre duas amigas e nunca teria se tornado pública, exceto pelo fato de que Dr. Luke decidiu publicá-la para milhões de pessoas em sua queixa de 2017 contra Kesha", diz o texto.

Já a defesa de Dr. Luke enfatizou que Katy Perry "testemunhou sob juramento" que ele nunca a estuprou. "Ainda assim, Kesha se recusa a pedir desculpas. Em vez disso, Kesha divulgou um comunicado à imprensa em que, novamente e de forma irresponsável, sugere que Katy Perry foi de fato estuprada. Parece que Kesha quer perpetuar a falsa acusação de que Dr. Luke estuprou Katy Perry".

Batalha judicial

A batalha judicial entre Kesha e Dr. Luke começou em 2014, quando a cantora processou o produtor, afirmando que ele a estuprou. A artista ainda declarou que foi vítima de abuso emocional por parte do ex-colaborador, com quem trabalhou em "Animal", "Cannibal" e "Warrior".

O produtor sempre negou as acusações. Ele também diz ter tido um prejuízo de 10 milhões de dólares em danos por causa das alegações de Kesha e processou a cantora por difamação.