Correio do Povo | Notícias | Em nove meses, Sharjah Publishing City possui 50 empresas ligadas à indústria do livro

Porto Alegre

24ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 11 de Dezembro de 2018

  • 05/11/2018
  • 13:27
  • Atualização: 13:30

Em nove meses, Sharjah Publishing City possui 50 empresas ligadas à indústria do livro

Zona franca do livro ocupa uma área de cerca de 100 mil m²

Construção de 100 mil m² foi feita em tempo recorde, pouco mais de um ano | Foto: Sharjah Publishing City / Divulgação / CP

Construção de 100 mil m² foi feita em tempo recorde, pouco mais de um ano | Foto: Sharjah Publishing City / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Luiz Gonzaga Lopes

Com o objetivo de criar uma possibilidade maior de empresas de setores da cadeia do livro obterem um maior acesso ao mundo àrabe e também à Europa, Ásia e África, a Sharjah Publishing City entrou em funcionamento em fevereiro deste ano e desde então possui 50 empresas ligadas à indústria do livro. A zona franca do livro ocupa uma área de cerca de 100 mil m². Destas empresas, pelo menos a metade procedem do Reino Unido, China e Estados Unidos, além de Emirados Árabes Unidos.

As vantagens da instalação de uma editora ou gráfica brasileira é que há uma série de incentivos fiscais e subsídios do governo de Sharjah. Recentemente, foi instalada no local uma planta de impressão por demanda da Ingram. Conforme o representante da SPC, Ahmad Al Amoud, houve interesse de um grupo de empresas brasileiras no encontro realizado em agosto passado durante a 25ª Bienal Internacional do Livro de Sao Paulo.

Um escritório na Sharjah Publishing City pode custar a partir de US$ 370 ao ano (tamanho de 25 m²), incluindo estacionamento, limpeza, taxas de água e energia. Ao alugar o escritório, segundo Ahmad, o empresário tem vantagens como cinco vistos de permanência no emirado. Para editores que necessitem armazenar seus livros no local existem depósitos com segurança e sistema contra incêndio, com valores a partir de US$ 16,3 mil ao ano por 125 m² e dez vistos permitidos. Os escritórios podem ser alugados com ou sem mobília e também podem ser customizados, como é o caso da empresa austríaca Antiquariat Inlibres, de Viena, que lida com livros raros e ornou o escritório com mobília envelhecida.

As editoras que quiserem aderir à Sharjah Publishing City precisam preencher formulários (applications) e submeter a sua documentação para a Autoridade do Livro de Sharjah, que administra o espaço. Se a empresa for aprovada, recebe uma licença de funcionamento e as chaves para acesso ao depósito e/ou ao escritório da empresa em Sharjah, localizado a 12km do centro da cidade, além da emissão dos vistos.

O local foi construído em pouco mais de um ano, tempo recorde, e tem quatro quadrantes, Norte, Sul, Leste e Oeste, todos com simetria perfeita e ar condicionado em toda a sua extensão. A SPC conta com um teatro totalmente equipado para seminários, workshops e outras atividades. "A empresa que vier para a Sharjah Publishing City terá a possibilidade de acessar aos mercados do Oriente Médio, Europa, Ásia e África, com as facilidades de ser um zona franca com poucas taxas e muito incentivo fiscal, conexão por terra com os outros seis emirados e também com outros mercados por 9 aeroportos e 15 portos", finaliza Ahmad.