Correio do Povo | Notícias | Divulgados os autores patronáveis da 64ª Feira do Livro de Porto Alegre

Porto Alegre

24ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 11 de Dezembro de 2018

  • 26/09/2018
  • 15:02
  • Atualização: 15:30

Divulgados os autores patronáveis da 64ª Feira do Livro de Porto Alegre

Caio Riter, Celso Gutfreind, Claudia Tajes, Leticia Wierzchowski e Maria Carpi concorrem ao posto

64ª Feira do Livro de Porto Alegre ocorre de 1º a 18 de novembro de 2018 | Foto: Samuel Maciel / CP Memória

64ª Feira do Livro de Porto Alegre ocorre de 1º a 18 de novembro de 2018 | Foto: Samuel Maciel / CP Memória

  • Comentários
  • Correio do Povo

A Câmara Rio-Grandense do Livro (CRL) divulgou nesta quarta-feira os cinco autores que concorrem ao posto de patrono ou patrona da 64ª Feira do Livro de Porto Alegre, que ocorre entre 1º e 18 de novembro. São eles: Caio Riter, Celso Gutfreind, Claudia Tajes, Leticia Wierzchowski e Maria Carpi.

Os cinco escritores foram os mais votados na primeira etapa de votação do processo de escolha do patrono ou patrona do evento literário. Neste primeiro momento, cada uma das 130 empresas associadas à Câmara Rio-Grandense do Livro (editoras, livrarias, creditistas e distribuidoras de livros), além de patronos de Feiras anteriores e ex-presidentes da Câmara Rio-Grandense do Livro (CRL), indicaram cinco autores para que concorram ao título nesta edição.

Agora, Caio Riter, Celso Gutfreind, Claudia Tajes, Leticia Wierzchowski e Maria Carpi integram a segunda etapa da votação, da qual participam as empresas associadas e diretoria da CRL, patronos de feiras anteriores, representantes da comunidade cultural (reitores de universidades, diretores de faculdades e titulares de entidades culturais e sociais envolvidas com a questão do livro, todas sediadas no Rio Grande do Sul) e o público em geral, através de urnas disponibilizadas em livrarias pelo Estado. A apuração caberá à CRL e o nome do mais votado, que sucederá a Valesca de Assis, será anunciado na primeira quinzena de outubro.

Podem concorrer ao patronato escritores com obra de qualquer gênero (não exclusivamente literário), gaúchos ou radicados no Estado há mais de cinco anos. Também são considerados os seguintes critérios: 1) qualidade, extensão e importância do conjunto da obra; 2) representatividade no meio intelectual e na sociedade em geral; 3) serviços prestados ao livro produzido no Rio Grande do Sul. 

Saiba mais sobre os patronáveis:

Caio Riter

Nasceu em Porto Alegre em 1962. Mestre e doutor em Literatura Brasileira, é professor e ministrante de oficinas de criação literária. Autor de obra extensa, dedicada principalmente ao público infantil e juvenil. Recebeu o Açorianos de Literatura em 2004, 2006 e 2009; o 1º Barco a Vapor em 2005; Prêmio Livro do Ano pela Associação Gaúcha de Escritores em 2005 e 2006, e Selo Altamente Recomendável pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil por sua obra. Teve vários livros selecionados por programas governamentais e integrou o Catálogo de Bolonha. É nome frequente em atividades em escolas e eventos literários em todo o Brasil.

Celso Gutfreind

Nasceu em Porto Alegre em 1963. Autor de poemas, contos infantis e juvenis e ensaios sobre humanidades e psicanálise. Finalista em oito ocasiões, Celso recebeu o Prêmio Açorianos em 93. Agraciado cinco vezes com o Livro do Ano da Associação Gaúcha de Escritores. Também foi finalista do Prêmio Jabuti 2011 e escritor convidado do Clube de Escritores Ledig House em Omi (EUA), 1996. Como médico tem especialização em psiquiatria, psiquiatria infantil, mestrado e doutorado em Psicologia, realizado na Universidade Paris 13. Realizou pós-doutorado em Psiquiatria da Infância pela Universidade Paris 6. Psicanalista, trabalha em consultório e como professor convidado no curso de Psicologia da Unisinos e UFRGS.

Claudia Tajes

Nasceu em Porto Alegre em 1963, e conta que renasceu em 2000, quando estreou na literatura. Cronista elogiada, tem no cotidiano e nas relações afetivas seus principais temas. Redatora publicitária e roteirista de televisão, é autora também dos romances “Dez Quase Amores”, “A Vida Sexual da Mulher Feia”, “Só as Mulheres e as Baratas Sobreviverão”, entre outros. Já “Sangue Quente” e “Partes Íntimas” reúnem contos e crônicas. Foi publicada na Itália, na Sérvia, na Croácia e em Portugal.

Leticia Wierzchowski

Nasceu em Porto Alegre em 1972. Seu quinto romance, “A Casa das Sete Mulheres”, foi adaptado pela TV Globo para uma série televisiva, sucesso de audiência nos anos 2000, exibida em mais de trinta países. Em 2004, lançou “Um Farol no Pampa”, desdobramento daquele romance. Em 2005, estreou na literatura infanto-juvenil com “O Dragão de Wawel e Outras Lendas Polonesas”, em co-autoria com Anna Klacewicz. Recebeu o Selo Altamente recomendável pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil em 2006 e 2007 e o Prêmio Jabuti em 2009. Foi publicada na Alemanha, Espanha, França, Grécia, Itália, Portugal, Croácia e Sérvia e Montenegro.

Maria Carpi

Nasceu em Guaporé, Rio Grande do Sul, em 1939. Poeta, estreou na literatura em 1990, aos 51 anos. Uma das escritoras mais respeitadas da poesia contemporânea brasileira, recebeu o reconhecimento da crítica através de diversos prêmios e distinções. Entre eles, figuram a Menção Honrosa no Casa de las Américas em 1999, em Cuba; o Revelação da Associação Paulista dos Críticos de Arte em 1990, o Erico Veríssimo em 1991, por "Desiderium Desideravi"; vencedora quatro vezes do Prêmio Açorianos de Literatura, categoria Poesia. Além desses, foi três vezes premiada pela Associação Gaúcha dos Escritores, Livro do Ano, categoria Poesia, em 2004, 2006 e 2007.