Correio do Povo | Notícias | Instituto afegão e Metallica são os vencedores do Polar Music Prize

Porto Alegre

14ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sexta-feira, 25 de Maio de 2018

  • 14/02/2018
  • 14:16
  • Atualização: 14:42

Instituto afegão e Metallica são os vencedores do Polar Music Prize

Prêmio é conhecido como o Nobel da música e homenageia artistas que exaltam a paz e a união entre os povos

Cada um ganhará um troféu e 125 mil dólares | Foto: Colagem sobre fotos / CP

Cada um ganhará um troféu e 125 mil dólares | Foto: Colagem sobre fotos / CP

  • Comentários
  • AFP e Correio do Povo

Um instituto de música do Afeganistão que capacita meninas no país devastado pela guerra e o Metallica foram anunciados nesta quarta-feira os vencedores do Polar Music Prize, popularmente conhecido como o Nobel da música. Os laureados receberão, cada um, um milhão de coroas suecas (125 mil dólares) em uma cerimônia no dia 14 de junho, com a presença do rei Carlos XVI Gustavo da Suécia. O prêmio é uma homenagem a artistas que se destacam em suas produções, exaltando a paz e a união entre os povos.

O Instituto Nacional Afegão de Música foi homenageado junto com o seu fundador, Ahmad Sarmast, que iniciou a escola em 2010 em uma rara iniciativa coeducativa no país. O espaço, que ensina música local e ocidental, ajudou a gerar a primeira orquestra feminina do país, que se apresentou recentemente no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça. Sarmast, que enfrentou um risco substancial em um país onde a educação de música e meninas foi banida sob o regime repressivo de Talibã entre 1996 e 2001, disse que estava "muito animado, honrado e privilegiado".

"Acreditamos que nossos dois destinatários, embora de mundos muito contrastantes, exemplifiquem a missão do Polar Music, e isso é homenagear músicos e organizações musicais cujo trabalho tenha feito a diferença na vida das pessoas", afirmou Marie Ledin, diretora-geral do prêmio, em um comunidado. Sarmast e o instituto de música trabalharam para restaurar a alegria e o poder da música para a vida das crianças, enquanto Metallica é amada e admirada por milhões em todo o mundo", disse.

Metallica é uma das bandas mais influentes do heavy metal, tendo ajudado a trazer a música "agressiva" para o mainstream e preservado uma base de fãs ávida por décadas. Lars Ulrich, baterista dinamarquês da banda da Califórnia, classificou a distinção como "uma grande validação de tudo o que Metallica fez nos últimos 35 anos". "Ao mesmo tempo, sentimos que estamos no nosso auge com muitos bons anos à nossa frente", disse Ulrich sobre a banda, que lançou seu décidmo álbum, "Hardwired ... to Self-Destruct", no final de 2016.

Na declaração anunciando o Metallica, o comitê declarou que “não desde a turbulência emocional de Wagner e aos canhões de Tchaikovsky, alguém criou uma música tão furiosa, e ainda assim tão acessível". "Com músicos virtuosos e tempos acelerados, o Metallica levou o rock para lugares que nunca tinha chegado antes", completou. O grupo revelou que o valor será doado para a All Within My Hands Foundation, organização que a banda criou dedicada a ajudar e enriquecer a vida dos membros da comunidade, apoiando na luta contra a fome, na educação e em outros serviços críticos.

O Polar Music Prize foi criado em 1989 por Stig Anderson, mais conhecido como o gerente da banda sueca ABBA, e seleciona dois homenageados por ano. O objetivo declarado do prêmio é "quebrar os limites musicais reunindo pessoas de todos os diferentes mundos da música". No ano passado, os vencedores foram o britânico Sting e o norte-americano Wayne Shorter.