Correio do Povo | Notícias | Carl Palmer faz apresentação única em Porto Alegre em maio de 2018

Porto Alegre

17ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sexta-feira, 20 de Julho de 2018

  • 21/12/2017
  • 17:15
  • Atualização: 17:57

Carl Palmer faz apresentação única em Porto Alegre em maio de 2018

Baterista toca no Auditório Araújo Vianna no dia 26, a partir das 21h

Artista já participou de diferentes bandas ao longo de sua carreira | Foto: Mike Inns / Divulgação / CP

Artista já participou de diferentes bandas ao longo de sua carreira | Foto: Mike Inns / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

Carl Palmer, reconhecido internacionalmente como um dos principais bateristas da história do rock, chega a Porto Alegre no dia 26 de maio de 2018 para única performance no Auditório Araújo Vianna (Osvaldo Aranha, 685). Ao longo de sua trajetória musical, o artista de 67 anos integrou bandas como Atomic Rooster, The Crazy World of Arthur Brown, Asia, e Emerson, Lake & Palmer. Das canções deste último trio, o artista a seleção que compõe o repertório que será mostrado na Capital.

A apresentação ocorre a partir das 21h e tem ingressos disponíveis com valores entre R$ 180 e R$ 320. As entradas podem ser adquiridas pelo site ou na bilheteria do Teatro do Bourbon Country (Túlio de Rose, 80), de segunda a sábado, das 10h às 22h, e domingo e feriados, das 14h às 20h.

Nascido em Birmingham, Inglaterra, em 1950, o artista faz parte de uma família muito musical: seu avô tocava bateria, a avó, violino, e o pai dançava, cantava e tocava guitarra e bateria. Ainda na infância, Carl começar a ter aulas violino, mas foi quando assistiu ao filme "Drum Crazy", sobre a vida de Gene Krupa, que se apaixonou pela bateria e passou a estudá-la com 11 anos. Aos 14, formou sua primeira banda professional, The Mecca Dance Band e aos 15 passou a atuar num grupo com influências do som Motown, primeiramente chamada King Bees e depois The Craig. Em seguida, atuou com Chris Farlowe and the Thunderbirds, que tinha produção de Mick Jagger.

Aos 18 anos, entrou para a equipe de The Crazy World of Arthur Brown, conhecido pelas performances bombásticas e pirotécnicas que beiravam a insanidade e que tocava ao lado da nata do rock da época como The Grateful Dead, Jimi Hendrix, Iron Butterfly. Com o fim deste grupo, Carl, ao lado do tecladista Vincent Crane e do baixista Nick Graham, formou o Atomic Rooster, um dos principais e primeiros nomes do rock progressivo, no final dos anos 60. Com grande velocidade, seu nome firmava no cenário do rock. Na primavera de 1970, o artista foi convidado por Keith Emerson, do The Nice, para integrar uma nova banda ao lado dele e de Greg Lake, do King Crimson. Relutante, pois o Atomic Rooster fazia sucesso na época, ele topou participar de um ensaio.

Estava formado o supergrupo Emerson, Lake & Palmer. Em 1970, eles lançaram seu primeiro disco e participaram do Festival da Ilha de Wight, grande marco da história do rock, onde mostraram sua explosiva versão para "Pictures at an Exhibition", de Mussorgsky. Seguiram-se grandes discos: "Tarkus", "Pictures at an Exhibitions", "Trilogy", "Brain Salad Surgery" e "Welcome back my friendes to the show that never ends". Enquanto participava de turnê com a banda, Carl estudava tímpanos na Guindall School of Music. Cansados da agenda de show - foram seis discos lançados em quatro anos -, os artistas resolveram dar um tempo para desenvolver outros projetos.

Em 1979, o grupo retornou com "Love Beach" e "In Concert", e novamente se separou. Buscando novos horizontes, Carl formou sua banda própria, recrutando o vocalista Todd Cochran, os guitarristas John Nitzinger e Barry Finnerty e o baixista Erik Scott, e lançou o disco "1:PM", em 1980. Em 1981, recebeu um convite do empresário Brian Lane para formar um novo supergrupo, com o baixista e vocalista John Wetton (ex-King Crimson), o guitarrista Steve Howe (Yes) e Geoff Downes (The Buggles e Yes). Assim nasceu o Asia, que lançou grandes hits como "Heat of the moment", "Only time will tell", "Wildest Dreams" e "Sole Survivor", que dominaram as paradas de sucesso da época. Depois de 18 meses, a banda lançou seu segundo disco, que não teve o mesmo sucesso do primeiro, e foi se dissolvendo aos poucos.

O grupo Three surgiu em 1988 e logo lançou o disco "The Power of Three". Um ano depois, contudo, os integrantes se separavam. Logo a seguir, o Asia retornou para novas turnês pela Alemanha, Inglaterra, Japão, Rússia e Brasil. O ano de 1992, marcou o retorno do Emerson, Lake & Palmer, com o álbum "Black Moon". Desde então, Palmer participa de diversas reuniões com seus antigos companheiros: em 2006, o Asia, com a formação original, gravou dois novos álbuns e realizou uma tour mundial; em 2010, Palmer se juntou a Emerson e Lake para tocar para 30 mil pessoas no High Voltage Festival, em Londres. Paralelamente, ele dedica-se a oficinas e master classes de bateria, ao lado de seu novo grupo, denominado Palmer, que tem Simon Fitzpatrick (baixo) e Paul Bielatowicz (guitarra).