Porto Alegre

18ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sexta-feira, 23 de Junho de 2017

  • 19/01/2016
  • 10:23
  • Atualização: 11:37

Festival de Música abre com concerto popular e erudito

Orquestra da Ulbra executou vasto repertório na noite desta segunda no Theatro Guarany

Palco do Theatro Guarany foi preparado para receber a Orquestra da Ulbra | Foto: Facebook / Reprodução / CP

Palco do Theatro Guarany foi preparado para receber a Orquestra da Ulbra | Foto: Facebook / Reprodução / CP

  • Comentários
  • Luiz Gonzaga Lopes

O concerto de abertura do 6º Festival Internacional Sesc de Música, na noite desta segunda, no Theatro Guarany, em Pelotas, foi marcado pela característica do evento, que é congregar o erudito e o popular. A apresentação da Orquestra de Câmara da Ulbra, regida por Tiago Flores, tendo o violinista Carmelo de Los Santos como solista, começou com "Toada e Desafio", do compositor cearense radicado em Porto Alegre, Arthur Barbosa.

Naquele embalo meio nordestino, meio clássico, a orquestra preparou a cama musical para o momento estreia da noite. Carmelo e Tiago prepararam o inebriante "Concerto para Violino e Orquestra de Cordas", do russo Alexander Arutiunian.

Ao final dos quatro movimentos, o público não se conteve e aplaudiu por alguns minutos o solista gaúcho radicado nos Estados Unidos. Ele agradeceu ao público e ao festival por poder promover o lançamento nacional desta peça musical diante de dois de seus professores, o russo Levon Ambartsumian e o gaúcho Marcelo Guerchfeld, e ainda tocou o "Estudo Tango número 3", de Astor Piazzolla.

Depois, a Orquestra seguiu sozinha, tocando "Suíte Antiga", de Alberto Nepomuceno e duas músicas com arranjo de Arthur Barbosa: "Escorregando", de Ernesto Nazareth; e "Choreando", um pout-pourri de músicas de Valdir Azevedo, Zequinha de Abreu e Ernesto Nazareth. Ao final de uma hora e meia de apresentação, o público aplaudiu de pé, com gritos entusiasmados e o popular "Bravo, bravíssimo".

Entre os organizadores do evento, o gerente de cultura do Sesc/RS, Silvio Bento, destacou a presença de Carmelo de Los Santos. "Com a consolidação do festival, nós ganhamos uma particularidade, que são os professores vindo ao curso, mas dispostos a participar de duas ou mais apresentações. Eles vêm dispostos, lecionam, trocam informações. Todos são iguais, professores e alunos. A escolha do repertório da orquestra foi acertada porque privilegiou a todos os gostos dentro da música", relatou.

O diretor regional do Sesc/RS, Luiz Tadeu Piva, ressaltou que o festival de Pelotas já é o maior do gênero de concerto do país, superando a Campos do Jordão em atividades, ainda não em antiguidade. "Foram 824 inscritos para 260 vagas, com professores de 13 países e representantes de 17 países ao todo. São 50 espetáculos e 21 cursos. Esta procura demonstra a valorização do festival pela classe musical, do ponto de vista técnico, da qualidade da plateia. É um festival consolidado", finaliza Luiz Tadeu. O evento segue até dia 29. Mais informações pelo site.