Porto Alegre

13ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quinta-feira, 23 de Novembro de 2017

  • 09/11/2017
  • 15:04
  • Atualização: 17:39

Anthrax traz seu heavy metal e irreverência a Porto Alegre em show nesta sexta

Apresentação às 20h, no Opinião, reúne clássicos do grupo e faixas do mais recente trabalho

Quinteto é formado por Charlie Benante, Scott Ian, Jon Donais, Bello, Joey Belladonna | Foto: T Shinn / Divulgação / CP

Quinteto é formado por Charlie Benante, Scott Ian, Jon Donais, Bello, Joey Belladonna | Foto: T Shinn / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

Os fãs gaúchos da banda de heavy metal Anthrax podem se considerar pessoas de sorte. O grupo norte-americano incluiu em sua agenda deste ano apenas dois shows no Brasil, um deles justamente em Porto Alegre, nesta sexta-feira. O quinteto sobe ao palco do Opinião (Rua José do Patrocínio, 834), às 20h, para apresentar seu mais recente disco, "For All Kings" (2016), combinado a a um repertório que contempla todos os clássicos de sua discografia inovadora dentro do gênero que ajudou a moldar. Os ingressos custam entre R$ 140 e R$ 320, e podem ser adquiridos pelo site.

O Anthrax não é o tipo de banda tradicional. Formado em Nova York, em 1981, o grupo que viria a vender mais de 1 milhão de discos e se tornar a personificação de um estilo único - que junta o visual hip-hop americano, riffs potentes e sonoridade thrash em resposta ao New Wave Of British Heavy Metal (NWOBHM) - passou por duas fases distintas em sua trajetória.É o representante mais animado do Big Four, manteve os olhos focados no futuro e consistentemente entregou bons resultados, no estúdio e no palco. Foi ao vivo, inclusive, ao lado dos demais companheiros conspiradores que a história do 11º disco começou a tomar forma.

Como banda, o Anthrax teve suas turbulências criativas, mas elas acrescentaram à sua química única. Todos os cinco membros contribuíram com ideias e fizeram sugestões para praticamente todos os sons no trabalho mais recente. O baterista Charlie Benante fez apontamentos importantes nas construções iniciais; o guitarrista Scott Ian usou um jeito muito particular para incorporar suas ideias líricas nas músicas; Bello provou ser muito talentoso em escrever melodias, o que estabeleceu a banda à parte dos congêneres; o vocalista Joey Belladonna criou linhas para encaixar da melhor maneira seu vocal crescente; e o guitarrista Jon Donais (Shadows Fall) trouxe riffs esmagadores.

E união desses esforços culminou em "For All Kings". O resultado, em resumo, é um disco tão diverso quanto satisfatório. É uma festa para os ouvidos e uma espécie de volta por cima para uma banda que carrega a distinção única de ter inventado o que faz e ser a melhor nisso. Das diretas e sem frescuras "You Gotta Believe"  e ‘Evil Twin’ até a cheia de riffs pesados ‘Blood Eagle Wings’, passando pela faixa-título, "For All Kings", o CD mantém a tradicional qualidade do grupo.