Correio do Povo | Notícias | "Causos do Guri" tem sessões no Porto Verão Alegre neste final de semana

Porto Alegre

21ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sábado, 22 de Setembro de 2018

  • 12/01/2018
  • 17:17
  • Atualização: 17:45

"Causos do Guri" tem sessões no Porto Verão Alegre neste final de semana

Agenda de sábado e domingo ainda tem despedida de montagens do festival

Montagem com Jair Kobe será apresentada no Teatro da AMRIGS | Foto: Tiago Trindade / Divulgação / CP

Montagem com Jair Kobe será apresentada no Teatro da AMRIGS | Foto: Tiago Trindade / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

O Porto Verão Alegre se despede neste final de semana de cinco montagens, mas também conta com o retorno de "Causos do Guri". Jair Kobe apresenta um show com diversas novidades, novas histórias, clipes ao vivo e paródias de bandas como Village People e Beatles. Além disso, há participação do gaúcho emo Licurgo, que toca bateria, anda de skate, mas também dança chula, mantendo viva a tradição gaúcha. A sessão ocorre no domingo, às 21h, no Teatro da AMRIGS (Ipiranga, 5311), com repetição na segunda, no mesmo horário e local. Os ingressos para essa e demais apresentações custam R$ 30 se adquiridos antecipadamente pelo site ou bilheterias a R$ 40 na hora.

"Projeto Lilith" encerra sua temporada no festival neste sábado, com apresentação às 18h no Instituto Ling (João Caetano, 440). Esta criação teatral, movida por questões que afligem um universo de opressões íntimas e sociais do feminino, tem cenas que se inventam a partir de uma investigação acerca da invisibilidade e naturalização de violências contra as mulheres. "Homens de Perto Desgovernados", a terceira incursão de Oscar Simch, Rogério Beretta e Zé Victor Castiel utilizando elementos do Teatro de Revista, tem uma apresentação final no Teatro da AMRIGS (Ipiranga, 5311), às 21h de sábado. Desta vez o trio, sempre sob a batuta de Néstor Monastério e com textos de Artur José Pinto, dá ênfase à política nacional, com uma abordagem mais madura mas ao mesmo tempo engraçada.

Quem também se despede do Porto Verão Alegre é o espetáculo "O que terá acontecido a Baby Jane?", dirigido por Zé Adão Barbosa. Na trama, Jane Hudson é uma artista que, quando criança, ficou famosa como Baby Jane. Ela sofre um acidente e então cai no ostracismo e, já adulta, vive trancafiada na casa que divide com a irmã Blanche. Quando decide voltar a atuar, Jane tenta retomar a personagem que a tornou conhecida, mesmo que algumas pessoas próximas a ela sofram consequências. Ao mesmo tempo, um mistério que envolve o passado das irmãs começa a se fazer cada vez mais presente. Sua apresentação ocorre no Teatro do SESC (Alberto Bins,665), às 20h.

"Terça insana", criado especialmente para o evento, segue com apresentações no sábado (21h) e no domingo (18h), no Theatro São Pedro (Praça da Matriz, s/nº). As apresentações serão com Roberto Camargo, Agnes Zuliani e um convidado especial em uma sessão, mostrando clássicos e novidades do Projeto.

Com direção de Fernando Ochôa, a comédia teatral "Deu Guru" aborda questões filosóficas, como vida após a morte, e cotidianas, como futebol. Ambientada num templo, onde o guru Zen Banho busca um substituto para o seu discípulo Bátcheman, que foi morto e era considerado um herói, várias pessoas se candidatam à vaga. No decorrer do espetáculo, os pretendentes desfilam suas habilidades para chamar a atenção do mestre. As sessões serão realizadas no Teatro de Arena (Borges de Medeiros, 835), às 21h de sábado e domingo.

Uma das comédias de maior sucesso do teatro gaúcho, "Se Meu Ponto G Falasse", completa 21 anos de estrada e segue com performancese até segunda-feira. Nas três datas remanescentes, as sessões ocorrem às 21h no Centro Histórico-Cultural Santa Casa (Independência, 75). A montagem narra a trajetória de duas mulheres comuns que viveram as etapas obrigatórias da mulher do século XX. Sonharam com seus príncipes encantados, se decepcionaram com eles, viveram a dor da separação, a conquista da auto-estima e do poder da sexualidade, conquistaram seu espaço no mercado de trabalho. Bia e Ana representam a mulher que se autorretrata depois de todos os avanços da revolução feminista e traça, com muito humor, muita auto-crítica e uma pitada de auto-ajuda, o perfil da nova mulher.