Correio do Povo | Notícias | Sob um olhar contemporâneo e pulsante, "Hamlet" entra em cartaz no Theatro São Pedro

Porto Alegre

33ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sexta-feira, 14 de Dezembro de 2018

  • 16/11/2018
  • 09:06
  • Atualização: 13:55

Sob um olhar contemporâneo e pulsante, "Hamlet" entra em cartaz no Theatro São Pedro

Armazém Companhia de Teatro (Rio de Janeiro) apresenta versão de Paulo de Moraes para obra de Shakespeare

Patrícia Selonk faz papel principal  da peça, em cartaz  no Theatro São Pedro  | Foto: Guto muniz / Divulgação / CP

Patrícia Selonk faz papel principal da peça, em cartaz no Theatro São Pedro | Foto: Guto muniz / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Vera Pinto

Uma trilha incidental, com levada de rock’n’roll, um cenário com uma certa magnitude, atuações vigorosas e a linguagem contemporânea da tradução de Maurício Mendonça caracterizam a versão da Armazém Companhia de Teatro para “Hamlet”. Dirigida por Paulo de Moraes, a peça está no Theatro São Pedro (Praça da Matriz, s/n), nesta sexta-feira, no sábado e no domingo, sempre às 20h.

O mítico personagem shakespeareano, vivido por Patrícia Selonk, suscita novas questões sobre o jovem extremamente inteligente, que buscava a verdade, acima de tudo. A história de traição, manipulação e poder se passa na corte dinamarquesa mergulhada na corrupção, no século XVII. Seu pai, o rei, morre misteriosamente e aparece para ele, em forma de visão. Revela que foi assassinato pelo próprio irmão e pede que o filho se vingue do tio, que em um mês casa com sua mãe. Inicialmente, o rapaz duvida e a partir daí passa a investigar, fingindo-se de louco.

“As questões que Shakespeare levantou em 1600 seguem atuais, o que prova que não evoluímos muito. A peça é bem montada e consegue absorver questões de qualquer tempo. Isso diferencia “Hamlet” da maioria das peças já escritas”, diz Paulo de Moraes, sobre a montagem, que veio à Capital em maio últimao, pelo Festival Palco Giratório. A ação se passa em um grande cenário, que lembra um palácio, mas com feição industrial.

O diretor explica, também, que trabalharam com um aspecto holográfico, para que a estrutura envidraçada pudesse receber as projeções de vídeo, do fantasma, por exemplo. Também no elenco, Ricardo Martins, Marcos Martins, Lisa Eiras, Jopa Moraes, Isabel Pacheco e Luiz Felipe Leprevost.