Correio do Povo | Notícias | "Olga" é o grande vencedor da Maratona de Monólogos

Porto Alegre

19ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 25 de Setembro de 2018

  • 05/08/2018
  • 21:58
  • Atualização: 22:00

"Olga" é o grande vencedor da Maratona de Monólogos

Espetáculo recebeu quatro troféus, incluindo Melhor Monólogo, Atriz, Texto e Direção

 Vencedores da V Maratona de Monólogos | Foto: Sérgio Azevedo / Divulgação / CP

Vencedores da V Maratona de Monólogos | Foto: Sérgio Azevedo / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Luiz Gonzaga Lopes

Foi uma semana de intensas atividades teatrais em Canela, com 16 monólogos, 4 oficinas, 4 bate papos, duas sessões de autógrafos e muito teatro em seis 6 dias de intensa programação da V Maratona de Monólogos, que teve o tema “O palco e a transposição das questões sociais”. A premiação da Maratona ocorreu sábado à noite, no Salão Centenário do Grande Hotel de Canela. Na Mostra Universitária, o júri popular escolheu como melhor monólogo “O Ninguém”, Cristian Bétran, do teatro Enredo de Caxias do Sul. Os atores Vinícius Piedade, Fábio Vidal e Daniel Colin, que compuseram o júri, escolheram como melhor ator Marcio Moura, do monólogo “Reflexos da Opressão”; melhor pesquisa de linguagem e experimentação cênica para Kira Luá por “Universo imaginário: Microcosmo poluído”; e prêmio especial do júri pela orientação pedagógica, que resultou nos monólogos artísticos autorais “Reflexos da opressão” e para “Que feminilidade você se rende”, foram para a diretora Andrelise Santorum.

O melhor monólogo da V Maratona de Monólogos da Mostra Estudantil foi “Olga”, que levou também os troféus de melhor atriz para Edelweiss Ramos, o melhor texto ou roteiro com autoria da atriz e ainda, melhor direção para Luana Serrão. A noite também foi de emoção na homenagem póstuma a atriz Maria Luiza Vilela Campos que participou da IV Maratona, em 2014, atuando com texto próprio "Falando com Deus". Ela morreu em fevereiro de 2015. Os filhos Pedro e Gabriel receberam o troféu confeccionado especialmente para o evento pela artista plástica Rita Gil. “Para nós, é uma emoção receber este troféu, pois ela era a mãe de todos nós, não só minha e do Pedro. Digo a vocês, aproveitem os momentos de vida e alegria com as mães de vocês. Com ela, era um aprendizado a cada dia”, frisou, emocionado Gabriel Campos.

O filho Pedro Campos, que trabalhou na organização da Maratona, lembrou do fato de ela ser mãe de todos. “Ela ajudou muita gente a gostar de teatro e também me ajudou a pensar o texto teatral e a me engajar nos movimentos pela cultura, a sair da zona de conforto”, observou Pedro, agradecendo a Lisiane Berti, idealizadora da Maratona de Monólogos, por acreditar sempre na resistência cultural. Lisiane destacou que acredita no teatro da resistência e da insistência e que esta edição da Maratona foi feita assim, após quase quatro anos sem ser realizada:

“Retomar este evento é como voltar a um caminho que não foi explorado, que ficou incompleto. Pausas são necessárias para repensar escolhas e insistir na caminhada. Mesmo com obstáculos, em tempos intolerantes, a arte torna-se ferramenta necessária e precisa reverberar positivamente. Então caminhamos e reverberamos. Acreditamos no universo conspirando em favor da resistência cultural. Então seguimos”, finalizou. A VI Maratona de Monólogos, já tem data marcada e ocorrerá em julho de 2019.

A Maratona é uma promoção da Prefeitura Municipal de Canela através do Departamento de Cultura da Secretaria de Turismo e Cultura, realização do Estúdio de Pesquisa Teatral Cia Lisi Berti e tem nesta edição teve apoio cultural do Grande Hotel Canela, UCS Canela, Fundação Cultural, Aroma Literário, Estética Ana Luiza, Destin Turismo, Empório Canela, Conteiner Bistrô, Espaço 273, Restaurante Bifão, Casa da Serra, Papardelle, Churrascaria Canela em Braza, Pousada Encantos da Terra, Parque Terra Mágica Florybal, Chocolates Florybal, Angá produtora, Ideia Produção, Estratégia Comunicação e Marketing, Kongo Pizzaria e Rádio Clube de Canela.