Correio do Povo | Notícias | Ciclista belga é suspensa por usar motor escondido em bicicleta

Porto Alegre

18ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 25 de Setembro de 2018

  • 26/04/2016
  • 15:15
  • Atualização: 15:26

Ciclista belga é suspensa por usar motor escondido em bicicleta

Femke Van den Driessche, de 19 anos, ainda terá que pagar multa de mais de 18 mil euros

Femke Van den Driessche, de 19 anos, está suspensa até 10 de outubro de 2021 | Foto: Belga / AFP / CP

Femke Van den Driessche, de 19 anos, está suspensa até 10 de outubro de 2021 | Foto: Belga / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

Primeiro caso de 'doping mecânico' da história do esporte, a ciclista belga Femke Van den Driessche foi suspensa por seis anos nesta terça-feira, por ter sido flagrada com um pequeno motor escondido na bicicleta no mundial de ciclocross, em janeiro. A atleta de 19 anos foi reconhecida culpada por "fraude tecnológica" e suspensa "por um período de seis anos, de 11 de outubro de 2015 a 10 de outubro de 2021", informou a União Ciclista Internacional.

A jovem belga também foi multada em 20.000 francos suíços (18.180 euros) e teve seus títulos de campeã mundial Sub-23 e campeã belga cassados. Um pequeno motor elétrico foi encontrado "escondido em um das bicicletas usadas pela ciclista" no Mundial Sub-23 de Heusden-Zolder, na Bélgica.

"A bicicleta foi escaneada por meio de um novo teste de ressonância magnética que começou a ser usado neste ano pela UCI. O motor foi detectado quando a bicicleta estava no local onde a competidora armazenava seu material. Tratava-se de um motor Vivax, escondido, junto com a bateria, no tubo da sela, e acionado com controle remoto escondido por baixo do guidão", detalha o texto.

"Investimos recursos consideráveis no desenvolvimento dessa nova tecnologia e reforçamos as sanções aplicáveis contra qualquer pessoa reconhecida culpada por este tipo de trapaça", reagiu o presidente da UCI, o inglês Brian Cookson, citado no comunicado. Depois de ser flagrada, Van den Driessche colocou a culpa num mecânico. "Esta não era minha bicicleta. Pertencia a um amigo, e era idêntica ao meu", alegou a belga, em lágrimas, em entrevista ao canal Sporza.

"Este amigo foi reconhecer o percurso no sábado, e colocou sua bicicleta de volta no caminhão. Um mecânico, que pensava que fosse a minha, a preparou para a corrida", explicou a jovem ciclista, jurando que "ignorava totalmente" a existência de um motor.