Correio do Povo | Notícias | CAS anula suspensão olímpica de 28 atletas da Rússia por escândalo de doping

Porto Alegre

14ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 27 de Maio de 2018

  • 01/02/2018
  • 18:25
  • Atualização: 18:37

CAS anula suspensão olímpica de 28 atletas da Rússia por escândalo de doping

Corte Arbitral do Esporte também concluiu que devem ser devolvidas sete medalhas olímpicas

Secretário-geral da CAS, Matthieu Reeb, em PyeongChang, durante coletiva nesta quinta  | Foto: François-Xavier Marit / AFP / CP

Secretário-geral da CAS, Matthieu Reeb, em PyeongChang, durante coletiva nesta quinta | Foto: François-Xavier Marit / AFP / CP

  • Comentários
  • AE

Vinte e oito atletas russos tiveram revogadas nesta quinta-feira pela Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) as suas sanções olímpicas por doping, em decisão que questiona as medidas do Comitê Olímpico Internacional (COI) contra o esporte do país. "Em 28 casos, foi determinado que a evidência recolhida era insuficiente para estabelecer que os atletas envolvidos cometeram uma violação de doping", disse o tribunal em um comunicado.

A CAS também concluiu que devem ser devolvidas sete medalhas olímpicas da Rússia, obtidas nos Jogos de Inverno de Sochi em 2014, incluindo o ouro no skeleton masculino e no esqui cross-country masculino, na categoria de 50 quilômetros. Outros 11 foram declarados culpados por doping, mas viram os seus banimentos por todas a vida reduzidos a sanções temporárias que só afetam a próxima Olimpíada, que começa na próxima semana na Coreia do Sul.

"Isso não significa que esses 28 atletas sejam declarados inocentes, mas que em seu caso, devido à evidência insuficiente, os recursos são permitidos, são anuladas as sanções e seus resultados individuais em Sochi são restaurados", disse o secretário-geral da CAS, Matthieu Reeb, em PyeongChang.

O COI disse que tomou nota da decisão da CAS "com satisfação por uma lado e desapontamento por outro", acrescentando que a decisão "poderia ter um grave impacto no futuro combate ao doping". Também apontou que não convidará necessariamente todos aqueles cujas sanções foram revogadas para a Olimpíada. "Não estar punido não atribui automaticamente o privilégio de um convite", afirmou a instituição em comunicado.

O fato de 11 atletas terem perdido as suas apelações, acrescentou o comitê, demonstra a existência de "manipulação sistemática" do sistema antidoping em Sochi. O COI acrescentou que poderia recorrer das decisões da CAS perante o Superior Tribunal da Suíça.

Os 28 que tiveram as suas sanções revogadas podem agora solicitar a sua inscrição nos Jogos de PyeongChang. "As ações firmes na defesa dos direitos perante os tribunais estão justificados e podem ser eficazes e devem continuar", disse Dmitry Peskov, porta-voz do presidente da Rússia, Vladimir Putin. "Estamos satisfeitos pelos nossos atletas. Não sei se eles poderão competir em PyeongChang. Estamos falando com o COI", acrescentou.

Os 11 atletas que tiveram rechaçadas as suas apelações competiam no bobsled masculindo, esqui cross-country feminino e hóquei no gelo feminino. Apesar de tudo, os veredictos foram interpretados como uma vitória na Rússia, que, durante anos, negou a existência de um programa de doping patrocinado pelo Estado.

O COI já convidou 169 russos para os Jogos de PyeongChang para que participem sob bandeira neutra, mas agora pode ser forçado a admitir atletas que considera trapaceiros, oito dias antes do início do evento. O comitê puniu no ano passado 43 russos por doping em Sochi após concluir que fizeram parte de um esquema de doping. A CAS ainda tem pendente outras três apelações, todas relacionadas com ex-atletas do biatlo.