Correio do Povo | Notícias | Triatleta da África do Sul sofre ataque com serrote durante treino

Porto Alegre

13ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 18 de Junho de 2018

  • 07/03/2018
  • 21:15
  • Atualização: 21:17

Triatleta da África do Sul sofre ataque com serrote durante treino

Agressores tentaram cortar as duas pernas de Mhlengi Gwala, em Durban

  • Comentários
  • AE

Autoridades da África do Sul revelaram nesta quarta-feira um grave e incomum ataque a um atleta de ponta do triatlo nacional. Mhlengi Gwala, uma das estrelas da modalidade local, foi atacado nesta terça com um serrote enquanto treinava. Os agressores tentaram cortar as duas pernas do triatleta, causando graves lesões. Gwala, porém, apresenta quadro estável no hospital onde foi internado.

O esportista de 27 anos foi submetido a cirurgia ainda na terça, de acordo com Dennis Jackson, diretor do programa de elite esportiva da província KwaZulu-Natal. O ataque aconteceu na cidade de Durban, no litoral. Embora tenha sido confirmada a informação de que o quadro do triatleta é estável, não foram revelados maiores detalhes sobre a condição de saúde do atleta. O ataque aconteceu quando Gwala treinava com sua bicicleta. Inicialmente, ele achou que se tratava de um assalto e entregou seu celular, carteira e bicicleta aos agressores. Entretanto, eles levaram-no para fora da estrada e começaram a serrar a perna direita, causando graves lesões em músculos, nervos e ossos da panturrilha.

Segundo Jackson, os agressores não atingiram uma artéria, o que poderia gerar ainda mais danos ao atleta. Por isso, os médicos acreditam que podem “salvar” a perna dele. Os agressores ainda serraram parte da perna esquerda de Gwala antes de fugirem. O triatleta, então, rastejou até a estrada e pediu ajuda para ser encaminhado até o hospital.

Inicialmente, não está claro o motivo do ataque ao atleta. “Eu nunca ouvi falar de algum inimigo que Gwala poderia ter. Ele é um grande embaixador do esporte”, disse Jackson.

O sul-africano se tornou uma das referências do triatlo no país após superar problemas com drogas e álcool. Ele já representou a África do Sul em competições nos Estados Unidos e na Europa. E tinha como maior meta disputar as provas do Ironman pelo mundo. O ataque gerou forte repercussão até no governo sul-africano. Vice-ministro do Esporte, Gert Oosthuizen descreveu o ataque à “estrela do esporte” como “totalmente inaceitável” e afirmou que a polícia está investigando o caso.