Correio do Povo

Porto Alegre, 16 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
17ºC
Amanhã
18º 29º


Faça sua Busca


Esportes > Futebol

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

08/12/2013 19:13 - Atualizado em 08/12/2013 20:47

Fluminense vence o Bahia, mas cai para a segunda divisão

Equipe carioca virou o jogo em Salvador, mas resultados paralelos não ajudaram

Equipe carioca virou o jogo em Salvador, mas resultados paralelos não ajudaram<br /><b>Crédito: </b> Ricardo Ayres/Photocamera/CP
Equipe carioca virou o jogo em Salvador, mas resultados paralelos não ajudaram
Crédito: Ricardo Ayres/Photocamera/CP
Equipe carioca virou o jogo em Salvador, mas resultados paralelos não ajudaram
Crédito: Ricardo Ayres/Photocamera/CP

Ponto final melancólico para o Fluminense na Série A-2013. Vai ser difícil explicar para as gerações futuras de tricolores como, pela primeira vez na história, o então campeão brasileiro foi rebaixado à Série B logo no ano seguinte. Mas, ainda que desagradável, há explicação. Não adiantou nem vencer o Bahia por 2 a 1, de virada, tamanho foi o mau desempenho ao longo da competição. A ironia ainda resolveu aparecer, porque a confirmação do rebaixamento se deu justamente quando o Flu fez o segundo gol.

Minutos depois da queda do Fluminense, o Vasco acabou confirmando sua vaga na Série B em 2014. O clube carioca levou 5 a 1 do Atlético-PR, embora o jogo tenha sido mais marcado pela violência nas arquibancadas.

O desempenho do time na Itaipava Arena Fonte Nova, em Salvador, não foi muito diferente do que apresentado durante o Brasileirão inteiro. Um time adormecido durante a maior parte do tempo, com a sensação de que poderia sair da zona de rebaixamento a qualquer momento, que acordou tarde. O campeonato acabou, o tempo também, e o Fluminense foi rebaixado.

O Tricolor não engrenou no Brasileiro. Nem neste domingo, nem durante a passagem dos outros dois que antecederam Dorival Júnior no cargo de técnico (Abel Braga e, principalmente, Vanderlei Luxemburgo). Se não fosse por Diego Cavalieri, o Bahia teria saído do jogo com muito mais do que um gol marcado.

Para onde foram os guerreiros? Além de aposentados e vendidos, até o capitão, por exemplo, saiu de cena por uma lesão na coxa e perdeu a maior parte da competição. Da arquibancada da Fonte Nova, Fred, aos 22 minutos do primeiro tempo, balbuciou o início do capítulo final do rebaixamento do Fluminense: "Gol do Coritiba, gol do Coritiba". O time paranaense, aquele mesmo que pagou o preço pela salvação do Flu em 2009, era um dos alvos da secação tricolor. Não deu certo.

Mas a queda não é culpa do Coxa. É culpa de um time cujo primeiro tempo foi sem criação, sem dinamismo e com marcação deficiente, que deu espaço para Marquinhos descer pela esquerda e deixar William Barbio na boa para abrir o placar a favor dos donos da casa - que fizeram um carnaval na arquibancada, diga-se de passagem.

Só então, com todos os fatores contra, o Fluminense conseguiu sair da inércia e engatinhar em uma reação no segundo tempo. Rafael Sobis, oásis de disposição e vontade durante a competição, começou a jogada pela direita que terminou com o toque de Wágner para o gol.

O Fluminense continuou brigando e pressionando o tranquilo Bahia, que há uma rodada conseguiu a tão cobiçado fuga da degola. E até que o time conseguiu a virada, com Samuel, aos 37 minutos da etapa final. Mas como nesse exato momento a vitória do Coxa foi confirmada sobre o São Paulo, o gol de nada adiantou. O Fluminense está de volta à Série B.

Bookmark and Share

Fonte: Lancepress







O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.