Correio do Povo

Porto Alegre, 23 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
21ºC
Amanhã
13º 22º


Faça sua Busca


Esportes > Futebol

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

09/12/2013 20:56 - Atualizado em 09/12/2013 21:08

Ex-vereador estava no meio da briga das torcidas de Atlético-PR e Vasco

Eleito por Curitiba, Juliano Borghetti foi identificado em fotos da confusão

O ex-vereador de Curitiba e atualmente superintendente da Ecoparaná, órgão da secretaria de Turismo do Estado, Juliano Borghetti, foi flagrado entre os torcidas do Atlético-PR e Vasco que participaram da briga na Arena Joinville, no último domingo. Borghetti aparece em fotos, em meio a confusão, com a camisa da maior torcida organizada do Furacão.

Ele confirmou que acompanha o Atlético-PR há anos, admitiu ser ele a pessoa que aparece nas fotos, mas ressaltou que não participou de nenhuma agressão. Em uma postagem em sua página do Facebook, Borghetti aparece usando a mesma camisa no Maracanã. Em 2011, o então vereador foi ao plenário para felicitar a organizada pela realização de sua festa de aniversário. Segundo ele, 'foram mais de seis horas de festa e que não houve nenhum relato de confusão entre os torcedores'.

Ainda durante seu mandato, Juliano Borghetti pediu ao então secretário de Segurança Público do Paraná, Luiz Fernando Delazari, que a segurança em dias de partidas fosse reforçada em bairros e terminais do transporte coletivo.

Pai de torcedor questiona ao filho internado motivos da briga

William Batista, de 19 anos, é o único torcedor envolvido na barbárie de Joinville que segue internado. Durante o dia, ele recebeu a visita de familiares. A mãe do rapaz, muito abalada, não quis falar com a imprensa. Já o pai dele classificou o fato como lamentável. "A primeira coisa que perguntei a ele foi: 'por que?'. Ele nunca foi violento, nunca se envolveu em briga nem nada. Tanto que essa foi a primeira vez que ele foi assistir a um jogo do Atlético fora da Curitiba. Não estou querendo justificar, não é isso. Mesmo nessa situação meu filho sendo a vítima, se tiver de pagar por algo, vai pagar", relatou.

Ele garante que o filho não faz parte de nenhuma torcida organizada do Atlético Paranaense, mas que costuma assistir aos jogos no "naquele meio". "Não é um rapaz violento. Perguntei para ele o porque disso e ele respondeu que começou o furdunço e, quando reparou, já estava ali na confusão", explicou.


Bookmark and Share

Fonte: Lancepress





» Tags:Futebol Briga


O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.