Correio do Povo

Porto Alegre, 24 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
14ºC
Amanhã
11º 22º


Faça sua Busca


Esportes > Futebol > Mundial de Clubes

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

15/12/2013 18:29 - Atualizado em 15/12/2013 18:35

Confronto com Ronaldinho empolga jogadores do Raja Casablanca

Time marroquino encara o Atlético-MG na semifinal do Mundial de Clubes nesta quarta

Marroquinos comemoram o fato de enfrentar Ronaldinho<br /><b>Crédito: </b> Vanderlei Almeida / AFP
Marroquinos comemoram o fato de enfrentar Ronaldinho
Crédito: Vanderlei Almeida / AFP
Marroquinos comemoram o fato de enfrentar Ronaldinho
Crédito: Vanderlei Almeida / AFP

Ao derrotar o Monterrey por 2 a 1 na prorrogação das quartas de final do Mundial de Clubes nesse sábado, alguns jogadores do Raja Casablanca ganharam de quebra o direito de realizar um sonho na próxima quarta-feira: enfrentar o ídolo Ronaldinho, destaque do Atlético-MG.

"Desde pequeno, meu sonho era ver Ronaldinho em pessoa. Jogar contra ele então, nem se fala. Será algo grandioso", comemorou em entrevista o marfinense Kouko Guehi, herói da classificação para as semifinais, que anotou de cabeça o gol que deu a vitória ao time marroquino aos cinco minutos do primeiro tempo da prorrogação.

"Quando vou chegar ao gramado, tudo vai ser diferente, será uma grande partida. Vamos jogar como homens e depois pensaremos em Ronaldinho, mas será um grande prazer enfrentá-lo", acrescentou o volante, que deve ser encarregado da marcação do camisa 10 durante a partida, marcada para as 17h30min (de Brasília) em Marrakech.

O outro herói do Raja, o goleiro Khalid Askri, que foi o melhor em campo contra o Monterrey, salvando seu time com defesas milagrosas, tampouco escondeu sua felicidade com a perspectiva de enfrentar o meia brasileiro, que conquistou a Bola de Ouro em 2004 e 2005. "É um grandíssimo jogador e para mim, será uma grande honra jogar contra ele", afirmou o goleiro de 32 anos, que fez praticamente toda sua carreira no FAR Rabat, onde jogou de 1998 a 2012.

Askri salientou que o fato de jogar em casa ajudou muito nas vitórias sobre Monterrey e Auckland (na fase preliminar) e espera que a torcida voltará a fazer a diferença na quarta-feira. "O público tem sido um valor agregado, empurrou a equipe e nos ajudou a derrotar adversários muito fortes. Esperamos que na próxima partida possamos jogar de igual para a igual, contando com o mesmo apoio para conquistar a vitória", completou.

Já Guehi reconheceu que o campeão da Taça Libertadores é o favorito para a partida. "O Atlético será um adversário difícil. Já enfrentamos um grande adversário, o Monterrey, e sofremos muito. Havíamos jogado três dias antes contra o Auckland City e sentimos o desgaste, mas conseguimos superá-lo com muita força mental", relatou o marfinense, que já foi convocado na seleção juvenil do seu país e espera que o Mundial o ajude a conquistar uma vaga na principal.

O volante divide com o ídolo o mesmo objetivo: participar da Copa do Mundo de 2014, no Brasil. "No futebol, tudo mundo vai muito rápido. A seis meses da Copa, vou trabalhar para estar lá, nunca se sabe. Não estou obcecado com isso, trabalho passo a passo", completou.

Bookmark and Share

Fonte: AFP







O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.