Correio do Povo

Porto Alegre, 21 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
24ºC
Amanhã
17º 22º


Faça sua Busca


Esportes > Futebol > Inter

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

17/12/2013 10:44 - Atualizado em 17/12/2013 11:13

Trajetória de Damião vai de desconhecido à Seleção até jejum de gols

Centroavante anotou 90 gols com a camisa do Inter

Leandro Damião vai jogar no Santos <br /><b>Crédito: </b> Alexandre Lops / Inter / CP
Leandro Damião vai jogar no Santos
Crédito: Alexandre Lops / Inter / CP
Leandro Damião vai jogar no Santos
Crédito: Alexandre Lops / Inter / CP

Quatro anos se passaram desde a estreia de Leandro Damião no time principal do Inter até o anúncio oficial da transferência para o Santos, nessa segunda-feira. Nesse período, o centroavante saiu de um jovem desconhecido da torcida, passou por dono da camisa 9 da Seleção Brasileira até o jejum de gols que o faz deixar o clube sob olhares de desconfiança.

Leandro Damião apareceu no Gauchão de 2010 no time comandado inicialmente por Enderson Moreira enquanto Jorge Fossatti preparava a equipe para a disputa da Libertadores da América. Ao lado de Walter, formou uma dupla que chamou a atenção do uruguaio. Damião acabou inscrito na competição continental, mas não foi aproveitado por Fossati.

O então camisa 22 atuou em apenas um jogo daquela Libertadores. E que jogo! A venda de Walter, a saída de Edu e as lesões de Alecsandro e Everton abriram espaço para que Damião fosse o atacante reserva no jogo de volta da final contra o Chivas. Ele ingressou no segundo tempo no lugar do cansado Rafael Sobis e entrou para a história do Inter ao marcar o segundo gol colorado na vitória de 3 a 2 sobre os mexicanos que deu ao clube o segundo título da América.

A Libertadores abriu espaço para Damião no grupo colorado. Apesar do fracasso contra o Mazembe, quando foi reserva e entrou nos minutos finais, terminou o ano em alta e iniciou 2011 com tudo. Alecsandro saiu para o Vasco e o Inter trouxe o argentino Cavenaghi. O gringo não teve chance. Leandro Damião empilhou gols e se confirmou como o grande atacante da equipe. Foi convocado para a Seleção Brasileira e chamou a atenção do país inteiro ao aplicar uma lambreta no lateral Emiliano Papa no duelo Argentina x Brasil pelo Superclássico das Américas, em Córdoba, no país vizinho.

O ano de 2011 foi mesmo o de Leandro Damião. Ele terminou a temporada com 40 gols, despertando interesse de vários clubes da Europa. O presidente Giovanni Luigi resistiu e manteve o centroavante no Beira-Rio. Em 2012, Damião foi o camisa 9 da Seleção Brasileira na Olimpíada, onde foi artilheiro com seis gols, mas não o suficiente para trazer o inédito ouro para o Brasil.

Após os Jogos Olímpicos, veio o começo da queda de Damião. O jogador acumulou lesões e ainda conviveu com um Inter cheio de problemas dentro e fora da campo. O camisa 9 encerrou 2012 com 24 gols.

A temporada 2013 começou como a chance de recuperação para Damião. O Inter de Dunga parecia acertado fora de campo e conseguia bons resultados dentro. O camisa 9, apesar de não ter marcado tantos gols no primeiro semestre, foi chamado por Luiz Felipe Scolari para defender a seleção na Copa das Confederações. Entretanto, uma lesão muscular o tirou da competição.

Além da decepção com o corte na Seleção, Leandro Damião novamente viu a janela de transferências se encerrar sem a mudança para um grande clube europeu. O Napoli, que era destino considerado certo pelo empresário e dirigentes do Inter, fechou de última hora com o argentino Higuaín. O jogador, que não queria ir para mercados como o do Leste Europeu, seguiu no Inter.

O segundo semestre de 2013 foi pior que o de 2012 para Leandro Damião. O camisa 9 chegou a acumular um jejum de nove jogos sem marcar no Brasileirão, foi para a reserva com Dunga e mesmo com o apoio de Clemer não conseguiu voltar a ser o artilheiro de dois anos atrás. Ainda conviveu novamente com lesões e terminou a temporada com apenas 13 gols marcados.

A queda de Leandro Damião é nítida nos números. Somando as duas últimas temporadas, 2012 e 2013, o centroavante marcou 37 gols, três a menos que os 40 anotados em 2011. Em sua última partida com a camisa colorada, no o empate em 0 a 0 com a Ponte Preta que ajudou o time a se livrar do rebaixamento, ele deixou o campo vaiado pela torcida ao ser substituído por Rafael Moura.

Damião deixa o Inter com 90 gols marcados em 179 partidas. Pelo clube, o centroavante conquistou a Libertadores (2010), a Recopa (2011), e três campeonatos Gaúchos (2011, 2012 e 2013).

Bookmark and Share

Fonte: Correio do Povo







O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.