Correio do Povo

Porto Alegre, 24 de Abril de 2014


Porto Alegre
Agora
18ºC
Amanhã
12º 22º


Faça sua Busca


Esportes > Handebol

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

18/12/2013 17:25 - Atualizado em 18/12/2013 17:41

Brasil vence a Hungria e está em semifinal inédita no Mundial de Handebol

Jogo terminou empatado e brasileiras superaram a Hungria na prorrogação por 33 a 31

Jogo terminou empatado e brasileiras superaram a Hungria na prorrogação por 33 a 31<br /><b>Crédito: </b> Andrej Isakovic/AFP/CP
Jogo terminou empatado e brasileiras superaram a Hungria na prorrogação por 33 a 31
Crédito: Andrej Isakovic/AFP/CP
Jogo terminou empatado e brasileiras superaram a Hungria na prorrogação por 33 a 31
Crédito: Andrej Isakovic/AFP/CP

A seleção brasileira de handebol feminino seguiu sua grande campanha no Mundial da modalidade, nesta quarta-feira na Sérvia. As meninas conquistaram vaga na semifinal após jogo duríssimo contra a Hungria na Arena Belgrado. A equipe dirigida por Morten Soubak venceu as húngaras e a torcida rival - presente em grande número no ginásio - em partida emocionante, decidida apenas na segunda prorrogação por 33 a 31. No tempo normal, a partida ficou em 26 a 26.

Agora, o Brasil espera o vencedor de Dinamarca e Alemanha para saber quem será o rival em busca de uma inédita finalíssima. A equipe verde e amarela superou sua melhor performance na história do torneio. Em 2011, em casa, havia ficado com a quinta colocação após cair justamente nas quartas de final contra a Espanha, em pleno Ginásio do Ibirapuera. Mesmo que caia na sexta-feira, o time poderá brigar por uma medalha no domingo, na decisão do terceiro lugar.

Brasil e Hungria alternaram momentos de domínio ao longo do tempo normal. As brasileiras aplicaram uma "blitz" nos minutos iniciais e chegaram a abrir alguma vantagem. Mas as húngaras equilibraram a partida e chegaram a passar a frente, obrigando Soubak a parar o jogo. A pausa fez efeito e o Brasil voltou a igualar o jogo.

Nos cinco minutos finais, o placar alternou gols das duas equipes, que não conseguiram mais abrir uma vantagem superior a um gol. No fim, o campeonato pôde testemunhar a sua primeira prorrogação até aqui com o 26 a 26 no tempo normal.

Novamente, os ânimos seriam fundamentais para decidir o vencedor do confronto, nos minutos derradeiros. A goleira brasileira Mayssa, em grande jornada, manteve a Seleção na partida, a despeito de não anotar nenhum gol nos primeiros cinco minutos. Monika Kovacsicz, da Hungria, colocou as rivais em vantagem na primeira etapa do tempo-extra: 27 a 26.

O primeiro gol brasileiro só saiu a seis minutos, com Alexandra Nascimento. Anita Gorbicz, em cobrança de 7 metros, logo colocou as húngaras à frente no marcador. Deonise, aproveitando-se de uma punição de dois minutos das húngaras, empatou novamente, com 2 minutos para o fim de jogo.

Após erro na saída de bola, Alexandra Nascimento recebeu passe de Duda e colocou o Brasil pela primeira vez na frente no marcador, com menos de um minuto para o término do confronto. A Seleção, no entanto, foi incapaz de parar o ataque de Tomori, a 15 segundos do fim, que forçou a segunda prorrogação: 30 a 30. No segundo tempo da segunda prorrogação, enfim, a vitória brasileira. Gols de Alexandra Nascimento, Mayara e Samira decretaram o triunfo. Vitória verde e amarela e fim da maldição das quartas de final com o 33 a 31.


Bookmark and Share

Fonte: Lancepress







O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.