Correio do Povo

Porto Alegre, 23 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
18ºC
Amanhã
15º


Faça sua Busca


Esportes > Vôlei

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

30/01/2014 08:25

Vôlei irá sem força máxima para os Jogos Sul-Americanos

Seleção feminina será representada por time infanto-juvenil e homens não participarão

O vôlei irá aos Jogos Sul-Americanos de Santiago (CHL), de 7 a 18 de março, sem suas principais forças. Na quadra, apenas a Seleção feminina será representada, e pelo time infanto-juvenil. Segundo a assessoria de imprensa da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), os homens não irão ao evento porque a Confederação Sul-Americana (CSA) exige a participação da equipe principal. A decisão da CBV foi tomada em conjunto com o Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

A ausência dos times ocorre devido ao conflito de datas. A ida dos atletas ao Sul-Americano afetaria a disputa dos campeonatos nacionais, as Superligas, que no mês dos Jogos estarão em sua fase final.

Entretanto, apesar de enfraquecido nas quadras, na praia o vôlei irá forte na briga pelo ouro. Com base no desempenho no ranking do Circuito Mundial, a CBV convocou as duplas Emanuel/Pedro Solberg e Alison/Bruno Schmidt no masculino. No feminino, foram chamadas a parceria atual campeã mundial, Talita/Taiana, e Lili/Duda. A última vai aos Jogos para ser observada pelo técnico Marcos Miranda.

No basquete, o Brasil não terá representantes por conta do calendário das ligas nacionais: NBB (masculino) e LBF (feminino). De acordo com o diretor executivo de esportes do COB, Marcus Vinícius Freire, um dos fatores que colaborou para as decisões tomadas com a CBV e Confederação Brasileira de Basquete (CBB) foi o limite de atletas da delegação.

Como são comportados até 500 inscritos, a entidade optou por priorizar as modalidades com interesse maior no evento e que visam a obtenção de índice para o Pan de Toronto, em 2015, por exemplo.

Para ele, a ausência dos principais times nos Jogos não causa espanto. Marcus acredita que os critérios de disputa deveriam ser melhores definidos pela Organização Desportiva Sul-Americana (Odesur), como a padronização dos times por modalidades. Isto evitaria, por exemplo, um jogo de uma equipe juvenil contra outra principal.

"Não é absurdo o vôlei não ir ao Sul-Americano. Acho um absurdo a Sul-Americana não negociar com as principais forças e escolher uma idade justa (categoria)", afirmou.

Cielo é nova baixa e Thiago Pereira deve ir

O nadador Cesar Cielo, que chegou a ser confirmado nos Jogos Sul-Americanos, não irá mais ao evento. Durante a competição, ele disputará torneios nos Estados Unidos, onde está treinando sob a supervisão do americano Scott Goodrich no Arizona.

A ideia do campeão olímpico é poder conciliar a programação entre treinos e provas, evitando grandes deslocamentos, por exemplo. Em fevereiro, o tricampeão mundial irá disputar o GP de Orlando.

Cielo deve ser substituído pelo prata em Londres-2012 Thiago Pereira. Falta apenas uma conversa entre o nadador e o técnico Albertinho para que ele seja confirmado.


Bookmark and Share

Fonte: Lancepress





» Tags:Vôlei Esporte

O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.