Correio do Povo

Porto Alegre, 22 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
19ºC
Amanhã
18º 29º


Faça sua Busca


Esportes > Futebol > Inter

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

03/02/2014 08:59 - Atualizado em 03/02/2014 09:05

D’Alessandro defende Rafael Moura e aprova fim da concentração

Antes da partida, argentino foi homenageado pelos 250 jogos com a camisa do Inter

Camisa 10 foi mais uma vez um dos destaques do Inter<br /><b>Crédito: </b> Alexandre Lops / Divulgação Inter / CP
Camisa 10 foi mais uma vez um dos destaques do Inter
Crédito: Alexandre Lops / Divulgação Inter / CP
Camisa 10 foi mais uma vez um dos destaques do Inter
Crédito: Alexandre Lops / Divulgação Inter / CP

Logo que Rafael Moura marcou o segundo gol colorado contra o Cruzeiro e saiu fazendo o sinal para a torcida calar a boca, o capitão D’Alessandro foi um dos primeiros jogadores a abraçar o centroavante e impedi-lo de seguir com o gesto. Após a partida, o meia saiu em defesa do companheiro. O argentino pediu para a torcida apoiar o camisa 11.

• Rafael Moura diz que alguns torcedores “mereceram” gesto ofensivo

“Nós temos que destacar o Rafael Moura. É um cara que não é problemático, que só soma ao nosso grupo. Sempre ajuda, sempre apoia. No ano passado não só ele, como o grupo todo não teve um ano que esperava. Ele treina, se esforça e é um cara que já ganhou títulos. Deu passe para um gol, fez outro, acho que foi destaque do jogo hoje. Acredito que ele será muito importante para nós este ano”, afirmou o argentino.

Para o jogo contra o Cruzeiro, o técnico Abel Braga liberou o grupo da concentração. Os jogadores se apresentaram para a partida no domingo na hora do almoço no hotel. D’Alessandro admitiu surpresas com a medida e se disse satisfeito com o voto de confiança do treinador com o elenco.

“Foi decisão da comissão técnica. Não sou eu quem opino. Se tiver que concentrar, vamos concentrar. Pessoalmente, isso me surpreendeu. Foi um voto de confiança do treinador com o grupo e nós temos que ter responsabilidade e compromisso, primeiro com a gente mesmo, mas também com a comissão técnica que está fazendo algo raro no futebol. Foi algo que o Abel começou a fazer, não quer dizer que será assim sempre, mas o grupo recebeu bem. Temos que encarar isso com uma responsabilidade muito grande para esse voto de confiança não fugir”, completou.

250 jogos e 60 gols

Antes do jogo contra o Cruzeiro, D’Alessandro foi homenageado pela direção pelos 250 jogos com a camisa colorada, completados diante do Corinthians, na penúltima rodada do Brasileirão. Com o gol na partida, o argentino chegou a 60 pelo Inter. O meia destacou sua sua identificação com o clube e revelou surpresa com a marca de gols alcançada.

“Consegui uma identificação muito grande com o clube. Senti isso na medida em que foi passando o tempo. Continuo sentindo esse carinho dos torcedores na rua e no campo. Nunca senti isso em outro lugar. Sempre vou estar agradecido. O tempo continua passando, fico cada dia mais velho. Tem um momento que vou sair, mas será importante para mim deixar minha marca do clube. Essa marca (de gols) é inacreditável. Não é o meu forte, meu trabalho é outro, mas no ano passado já fiquei surpreso em fazer 20 gols. Começar o ano marcando novamente assim me deixa feliz”.

Bookmark and Share

Fonte: Correio do Povo






O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.