Porto Alegre, terça-feira, 21 de Outubro de 2014

  • 13/02/2014
  • 14:41
  • Atualização: 14:53

D’Alessandro admite ansiedade com volta ao Beira-Rio

Argentino quer que retorno ao estádio seja em definitivo

Camisa 10 destaca ansiedade com volta ao Beira-Rio | Foto: Alexandre Lops / Divulgação Inter / CP

Camisa 10 destaca ansiedade com volta ao Beira-Rio | Foto: Alexandre Lops / Divulgação Inter / CP

  • Comentários
  • Lancepress

A volta do Inter ao Beira-Rio não causa ansiedade apenas nos torcedores. Nesta quinta-feira,o argentino D’Alessandro admitiu que está ansioso com a possibilidade de voltar a jogar na casa colorada. A partida contra o Caxias neste sábado, às 19h30mim, está marcada para o estádio, mas o clube ainda tem que cumprir alguns requisitos para que os bombeiros concedam a liberação para que um público de 10 mil pessoas assista ao jogo.

“A ansiedade existe porque é a nossa casa, não tem como a gente não querer jogar e voltar a ter essa força que representa o Beira-Rio. Para nós faz diferença. Queremos voltar para casa, o nosso torcedor também. Mas se tivermos que seguir atuando em outro estádio, vamos continuar fazendo a nossa parte. Sabemos que é difícil, que a liberação de um estádio depende de muitas coisas, não pode ter problema algum. O clube está certo em tentar reabrir o estádio de forma tranquila”, declarou o camisa 10.

Apesar da expectativa com a volta, D’Alessandro ressalta que prefere esperar um pouco para jogar no Beira-Rio desde que o retorno seja em definitivo. “No momento que a gente entrar no Beira-Rio não vai querer sair mais. Eu prefiro esperar mais um pouquinho e voltar de vez que retornar e sair. Isso sim pode ser uma coisa ruim, se acostumar ao Beira-Rio e depois não a outro estádio. Pode esperar um pouquinho, mas quando voltar não sair mais”, afirmou.

Dos cinco jogos que o Beira-Rio irá receber na Copa do Mundo, um deles será o da Argentina contra a Nigéria, em 25 de junho. Questionado se ainda acredita que pode ser convocado para o Mundial, D’Alessandro admitiu que vê a possibilidade como remota.

“Sobre essa grande temporada que eu fiz, acho que não chegou na Argentina a notícia. Isso é complicado. Já falei algumas vezes que não dá para entender por que o futebol brasileiro não pode ser visto lá. Aqui é mais perto da Argentina que São Paulo e não passam os jogos lá. Minha expectativa cada vez é menor, o Mundial está chegando. Cabe a mim seguir trabalhando e me destacando para o grupo. Se chegar essa chance, bem. Se não, a minha carreira continua. A Copa do Mundo é que falta na minha carreira. Já tive em Olimpíada, Mundial Sub-20 e Copa América, mas é totalmente diferente”, completou o meia.

Bookmark and Share


TAGS »