Porto Alegre, domingo, 26 de Outubro de 2014

  • 13/02/2014
  • 17:04

Representante da Conmebol crê em punição rigorosa para o Real Garcilaso

Torcida do clube peruano ofendeu o meio-campista Tinga, do Cruzeiro, com xingamentos racistas

  • Comentários
  • Lancepress

O episódio de racismo envolvendo a torcida do Real Garcilaso (PER) e o volante Tinga, do Cruzeiro, deve resultar em uma punição rigorosa para o clube peruano, de acordo com Hildo Nejar, representante da Conmebol no Brasil. Embora opte por não avaliar o caso com mais profundidade, uma vez que aguarda a súmula do árbitro da partida – José Argote (VEN) –, ele crê numa penalidade exemplar.

"Ainda não posso falar sobre a situação, porque não presenciei o ocorrido e tenho que aguardar a súmula do árbitro. Mas o Tribunal Disciplinar da Conmebol deve avaliar o caso em breve. E eu acredito em uma punição rigorosa, porque é um tema muito importante. Estamos às vésperas de uma Copa do Mundo na América do Sul, é inaceitável" – disse, ao LANCE!Net.

O preconceito racial não foi o único tema abordado por Nejar. Ele ainda falou sobre as precariedades do Estádio de Huancayo, onde faltou água após o compromisso e também luz, quando os comandados de Marcelo Oliveira foram treinar no local, na véspera do jogo.

"É uma barbaridade faltar água e luz em um estádio que recebe um jogo da Copa Libertadores. Mas o Cruzeiro precisa fazer uma reclamação oficial junto à Conmebol para que possamos dar uma posição mais firme" – concluiu.

Bookmark and Share