Porto Alegre, sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

  • 16/02/2014
  • 18:22
  • Atualização: 18:23

Atlético-MG e Cruzeiro não saem do 0 a 0 no Estádio Independência

Comandados de Paulo Autuori e Marcelo Oliveira empataram em jogo corrido

  • Comentários
  • Lancepress

Atlético-MG e Cruzeiro apenas empataram, em 0 a 0, no Estádio Independência. Embora o placar não tenha sido alterado, a partida, válida pela quinta rodada do Campeonato Mineiro, foi emocionante. Ambos tiveram boas chances de balançar a rede, mas acabaram parando em dois dos melhores goleiros do Brasil e nas falhas de conclusão.
O próximo compromisso do Galo será diante da URT, na quarta-feira, às 19h30, em Patos de Minas. A Raposa, por sua vez, enfrentará o Guarani-MG, no mesmo dia, mas às 22h. O duelo será disputado no Mineirão.

O primeiro tempo reuniu todos os requisitos de um grande jogo, à exceção dos gols. As duas equipes correram bastante e criaram boas oportunidades de marcar, dando emoção ao compromisso. A pontaria dos atacantes, no entanto, poderia ser melhor. Logo no primeiro minuto, Ricardo Goulart levou perigo à meta de Victor. A resposta alvinegra ocorreu em cobrança de falta de Ronaldinho.

No decorrer da etapa inicial, o time de Marcelo Oliveira trocou passes e insistiu em jogar pelo lado direito do ataque, tentando se aproveitar do fato de Dátolo estar improvisado na lateral por aquele lado. Ceará e Dagoberto incomodaram bastante o argentino com jogadas rápidas.

O mandante, por sua vez, aproveitou a velocidade dos pontas Diego Tardelli e Fernandinho e atuou em contragolpes. A maioria dos lances, contudo, foi concluída com passes errados ou finalizações mal aproveitadas. Na volta do intervalo, o Cruzeiro não manteve a intensidade do tempo inicial e viu o arquirrival evoluir no confronto. O quarteto ofensivo do Atlético exigiu boas intervenções da retaguarda adversária, sobretudo do goleiro Fábio.

Ciente da queda de produção de seus comandados, Marcelo Oliveira modificou a maneira de jogar do time, colocando um centroavante de ofício em campo. O resultado foi uma melhora imediata. Melhor em campo, a Raposa passou a levar mais perigo à meta rival. O Galo seguiu se aproveitando da velocidade dos homens de frente.
Os minutos finais do clássico foram recheados de emoções. Atleticanos e cruzeirenses tiveram ótimas chances de marcar, mas erraram nas finalizações ou pararam nas ótimas defesas de Fábio e Victor.

Bookmark and Share