Correio do Povo

Porto Alegre, 31 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
17ºC
Amanhã
16º 26º


Faça sua Busca


Esportes

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

06/03/2014 12:51 - Atualizado em 06/03/2014 12:59

Pistorius chora ao ouvir sobre suas tentativas de ressuscitar namorada

Durante julgamento, cobriu seus ouvidos enquanto testemunha falava

Pistorius chorou ao ouvir tertemunha<br /><b>Crédito: </b> Marco Longari / AFP / CP
Pistorius chorou ao ouvir tertemunha
Crédito: Marco Longari / AFP / CP
Pistorius chorou ao ouvir tertemunha
Crédito: Marco Longari / AFP / CP

O julgamento do atleta Oscar Pistorius, acusado de assassinar a ex-namorada Reeva Steenkamp com um tiro em sua própria casa, em 2013, segue com tons dramáticos. Na manhã desta quinta-feira, uma testemunha descreveu as "desesperadas tentativas" de Pistorius ressuscitar a namorada após supostamente atirar na mesma e, durante o depoimento, o acusado chorou e cobriu suas orelhas, balançando seu corpo para frente e para trás.

O vizinho de Pistorius, um médico, descreveu a cena ao entrar na casa, dizendo que o corredor estava debruçado sobre a namorada, tentando ressuscitá-la, e percebeu que o estado de Reeva já era irreversível. O médico comentou sobre a reação do atleta enquanto ele tentava checar sinais vitais em Steenkamp.

“Enquanto eu tentava checar se ela poderia ser ressuscitada, Oscar chorava o tempo todo, rezando para que Deus a deixasse viver. Em um momento, ele disse, enquanto rezava, que ele iria dedicar a sua vida e a dela a Deus se ela pudesse viver naquela noite”, afirmou o médico Johaan Stipp.

Stipp comentou que acordou a noite ao ouvir tiros e gritos, vindo da casa do atleta e, então, correu até o vizinho para checar se ele necessitava de ajuda. O médico disse também, que tentou tirar Pistorius da cena após ver o estado irreversível de Reeva, pois temia que ele pudesse causar algum mal a si mesmo. “Oscar estava emocionalmente muito, muito abalado. E eu não sabia a situação da casa, então, pensei que ele fosse se machucar de algum modo”, completou.

O depoimento do médico difere do testemunho de outros três vizinhos, que disseram terem ouvido gritos e, então, tiros. O advogado de defesa de Pistorius acusou uma das testemunhas de alterar seu depoimento a fim de incriminar o atleta.

Bookmark and Share

Fonte: Lancepress






O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.