Correio do Povo

Porto Alegre, 23 de Agosto de 2014


Porto Alegre
Agora
21ºC
Amanhã
22º 34º


Faça sua Busca


Esportes > Futebol > Copa do Mundo

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

10/03/2014 18:52 - Atualizado em 10/03/2014 19:21

Prefeitura praticamente define os itens a serem adquiridos para as estruturas temporárias

Município estuda adquirir câmeras de segurança e equipamentos para transmissão de dados

A Prefeitura de Porto Alegre praticamente finalizou a lista de bens que devem ser adquiridos para estruturas temporárias da Copa do Mundo. Itens como câmeras de segurança e equipamentos de Tecnologia da Informação (TI) para transmissão e armazenamento de dados podem entrar no relatório.

A lista de bens que podem servir de legado para cidade contam com mobiliários como cadeiras, mesas e quadros-negros. Outros itens, como cones de trânsito e fitas de isolamento, também foram elencados, assim como aquisição de tendas. A compra de contêineres também foi incluída na lista. Os itens devem ser reaproveitados nas áreas de educação, trânsito, comércio.

No entanto, a Prefeitura tem voltado as atenções para tramitação do projeto na Assembleia Legislativa, que garante incentivos fiscais às empresas que custearem as estruturas temporárias do evento esportivo, revela o gerente do Programa Copa da Secretaria Municipal de Planejamento Estratégico e Orçamento, Nilmar Faccin.

“O desenvolvimento desta lista de equipamentos se encontra em estágio bastante avançado, mas nós estamos num estágio de maior dependência da aprovação deste projeto e dos resultados de captação que o Inter venha a ter com a aprovação deste projeto de lei”, ressalta.

A Prefeitura de Porto Alegre pode arcar com até 15% do custo das estruturas temporárias para a Copa do Mundo, no entorno do estádio Beira-Rio, desde que os bens adquiridos deixem um legado permanente para a cidade e para a população. Em valores, o percentual equivale a R$ 4 milhões de um total estimado em R$ 30 milhões.

O projeto de lei encaminhado pelo Piratini, que garante incentivos fiscais às empresas que custearem as estruturas, permanece tramitando na Assembleia Legislativa, sem uma previsão de ir a plenário.

Bookmark and Share 

Fonte: Lucas Rivas/Rádio Guaíba






O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.