Correio do Povo

Porto Alegre, 23 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
17ºC
Amanhã
14º


Faça sua Busca


Esportes > Futebol > Copa do Mundo

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

11/03/2014 16:31 - Atualizado em 11/03/2014 19:08

Tarso alerta para risco de RS perder a Copa

Assembleia barrou antecipação da votação do projeto para custear estruturas temporárias

Logo após a Assembleia Legislativa barrar a antecipação da votação do projeto de lei, enviado para a Casa pelo Executivo garantindo isenções fiscais às empresas que custearem a construção das estruturas temporárias da Copa, o governador Tarso Genro declarou que o Estado corre o risco de perder a Copa do Mundo. "O risco é perdemos a Copa, acendemos o sinal amarelo. Nós respeitamos a decisão do Ministério Público (MP) e agora esperamos pela votação na Assembleia. Se eles votarem, nós faremos. Se não aprovarem, não faremos. E sem estas estruturas, eu tenho convicção de que provavelmente a Fifa vai dizer que a cidade não está apta para sediar os jogos da Copa do Mundo", declarou.

O adiamento da votação do projeto no Legislativo foi decidido em reunião realizada entre os lideres das bancadas no final da manhã de hoje.  Para Tarso Genro, além da posição do MP, uma eventual rejeição do projeto pelo Legislativo pode colocar em risco a realização da Copa do Mundo em Porto Alegre. 

Prefeitura prepara lista dos bens que irá comprar para estruturas temporárias
Prefeitura garante verba para estruturas temporárias da Copa

Na segunda-feira, o MP declarou que o Inter e a Fifa devem ser os responsáveis pelo custos da estruturas temporárias da Copa, projetos que devem chegar a cerca de R$ 30 milhões. Para o procurador Nílson de Oliveira Rodrigues Filho, "o eventual uso de recursos públicos para este fim só será admitido como mecanismo para que Porto Alegre não perca o evento. Porém, isso não isenta o Inter e a Fifa das suas obrigações contratuais de financiar essas estruturas, indenizando o Poder Público. Apenas no caso daqueles bens que possam se tornar legado para o Estado ou Município é que a indenização deverá ser como uma forma de ‘aluguel’”, esclarece o procurador.

Bookmark and Share

Fonte: Lucas Rivas / Rádio Guaíba






O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.