Correio do Povo

Porto Alegre, 2 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
15ºC
Amanhã
14º 22º


Faça sua Busca


Esportes > Futebol > Liga dos Campeões

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

11/03/2014 18:50 - Atualizado em 11/03/2014 18:51

Com goleada, Atlético de Madrid elimina Milan da Liga

Equipe espanhola goleou time de Kaká por 4 a 1 nesta terça-feira

Diego Costa marcou duas vezes sobre o Milan<br /><b>Crédito: </b> Pierre-Philippe Marcou / AFP / CP
Diego Costa marcou duas vezes sobre o Milan
Crédito: Pierre-Philippe Marcou / AFP / CP
Diego Costa marcou duas vezes sobre o Milan
Crédito: Pierre-Philippe Marcou / AFP / CP

O técnico Diego Simeone conseguiu montar um Atlético de Madrid destemido e sem medo de gigantes. O resultado do trabalho, que começou em 2012, deu mais uma mostra nesta terça-feira. No estádio Vicente Calderón, o time espanhol mandou o Milan de volta para casa com triunfo por 4 a 1 e 5 a 1 no placar agregado. A equipe se garante nas quartas de final da Liga dos Campeões com toda justiça.

O Milan foi a campo vestido de dourado. Talvez por superstição ou nostalgia dos melhores dias. Na verdade, o Rossonero está longe da época gloriosa. O que esperar de um time que chega às oitavas de final de uma Champions com apenas duas vitórias (ambas sobre o fraquíssimo Celtic)? Nada além da eliminação.

No primeiro lance do jogo, o atacante Diego Costa precisou dar uma voadora para alcançar cruzamento de Gabi e abrir o placar para o Atlético de Madrid. O time italiano se fingiu de morto e só ressurgiu porque Kaká estava numa boa noite. O brasileiro empatou a partida de cabeça e fez o Atlético soluçar de medo de perder a vaga.

Porém, como os demais jogadores do Milan não acompanharam o desempenho do camisa 22, o Atlético de Madrid voltou a ficar na frente no pior momento. Da entrada da área, Arda Turan matou no peito e acertou o ângulo, contando com a sorte – e com o desvio na defesa. Depois, o Atlético não perdeu mais o rumo da partida.

O segundo tempo foi do time da casa, que teve espaço de sobra para selar a classificação com Raúl García. O time italiano adotou estratégia kamikaze, tendo pela primeira vez três atacantes. Poderia dar certo, só que a falta de entrosamento falou mais alto. Coube à equipe de Simeone concluir a via-sacra dos italianos. Diego Costa fechou o caixão aproveitando passe de Sosa, aos 38 do segundo tempo. Correu para o abraço. E fez a festa.

Bookmark and Share

Fonte: Lancepress






O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.