Porto Alegre, quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

  • 14/03/2014
  • 07:13
  • Atualização: 07:16

Atlético-PR “salva” rodada dos brasileiros e derrota Universitário

Gol contra garantiu o único triunfo de times do País nesta semana pela Libertadores

Atlético chegou a seis pontos e divide liderança com The Strongest e Vélez | Foto: Ernesto Benavides / AFP / CP

Atlético chegou a seis pontos e divide liderança com The Strongest e Vélez | Foto: Ernesto Benavides / AFP / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

Cruzeiro, Atlético-MG, Botafogo, Flamengo e Grêmio tentaram, mas não conseguiram. Coube ao Atlético-PR ser o único time brasileiro a vencer na terceira rodada da fase de grupos da Libertadores. Na noite desta quinta e madrugada para sexta-feira, o Furacão, atuando no Peru, derrotou o Universitário, por 1 a 0, e se igualou em pontos aos líderes do Grupo 1 da competição. O gol contra de Duarte fez justiça ao Rubro-Negro paranaense, melhor em campo.

O Atlético chegou aos seis pontos na chave, assim como o The Strongest e Vélez Sarsfield. A liderança é do primeiro pelo saldo de gols. A equipe argentina aparece na vice-liderança pelo mesmo critério, enquanto o Furacão segue em terceiro. Já o Universitário está praticamente eliminado: segue sem pontos e sem vencer em 2014. São três derrotas pela Libertadores, um empate e três derrotas pelo torneio nacional do Peru.

Universitário e Atlético voltarão a se enfrentar na próxima quinta-feira, dia 20, já pela quarta rodada. O jogo, de mando do Furacão, será disputado no Durival de Britto, a partir das 17h30min.

Miguel Angel Portugal surpreendeu. A tendência era por um Atlético com dois atacantes contra o Universitário. Eis que, ao divulgar a escalação do Furacão, vieram as novidades: Douglas Coutinho, Éderson e Bruno Mendes no comando de ataque, com Mirabaje, ao invés de Fran Mérida na armação. A escolha do técnico espanhol se mostrou acertada. O Rubro-Negro teve mais posse de bola e volume de jogo que o rival no início do jogo.

O Universitário, em seu 3-5-2, apostou nas descidas de Luna, o mais perigoso dos primeiros 45 minutos, e na velocidade de Ruidíaz. Só que o ex-jogador do Coritiba decepcionou: foi nulo pela direita e, com isso, o time peruano até levou perigo ao Furacão, mas sem a qualidade necessária. Luna, sozinho, não resolveu. O fato de não ter vencido na temporada também pesou contra os comandados do técnico interino Carlos Silvestri.

O Atlético tinha a posse da bola, a velocidade de Sueliton, Natanael e Douglas Coutinho. Mas não tinha quem pensasse o jogo. A ausência de um camisa 10 capaz de decidir o jogo em uma bola passou a ficar clara nos minutos finais do primeiro tempo. Éderson até saiu da área para poder participar. Mirabaje, escolhido por Miguel Portugal para desempenhar tal função, não teve o brilho esperado.

O Universitário veio para a etapa final com as presenças de Aurelio Saco-Vértiz e Vargas, já que Angel Romero e Carlos Olascuaga foram meros espectadores nos primeiros 45 minutos. E o time peruano até que começou bem, perdeu ótima chance com Gomez, mas logo foi envolvido pelo Atlético. Mesmo sem ser brilhante, o Furacão, contando com a disposição de Ederson, pressionou o rival e foi se aproximando do gol.

E o merecido gol do Atlético veio. Após cruzamento de Sueliton, Duarte tentou cortar, mas acabou marcando contra. Ederson, que tentava tocar na bola, comemorou e, em um primeiro momento, ganhou o gol da Conembol. Seria um ótimo presente no dia em que completou 25 anos. Minutos depois, a entidade corrigiu e "garantiu" o tento contra para o zagueiro do Universitário.

Seguro, o Atlético controlou o adversário a partir de então, até teve chances para ampliar, com o zagueiro Manoel, e celebrou uma importante vitória. O Furacão segue em terceiro no Grupo 1, mas, agora, com a mesma pontuação do líder The Strongest e do vice-líder Vélez.

Bookmark and Share