Porto Alegre, quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

  • 19/03/2014
  • 13:45
  • Atualização: 17:44

Prefeitura entrega licença para implosão do Olímpico

Ainda não há uma data marcada para ocorrer a detonação do antigo estádio do Grêmio

Prefeitura entregou a licença para implodir Olímpico | Foto: Luciano Lanes / Divulgação PMPA / CP

Prefeitura entregou a licença para implodir Olímpico | Foto: Luciano Lanes / Divulgação PMPA / CP

  • Comentários
  • Rádio Guaíba

O estádio Olímpico já pode ser implodido para a construção de um empreendimento imobiliário no bairro Azenha. A licença para a operação foi entregue nesta quarta-feira pelo prefeito José Fortunati aos representantes da OAS, responsável pela obra no terreno. Mas ainda não há uma data para a detonação. O clube pretende liberar o ex-casa somente após a conclusão do Centro de Treinamento, que está em construção nas proximidades da Arena.

O diretor da OAS, Eduardo Pinto, e a gerente de planejamento de projetos, Patrícia Chamié, lembraram que a Prefeitura foi extremamente exigente, mas que este rigor foi necessário para dar serenidade à população da área vizinha ao estádio. “Hoje as pessoas estão mais tranquilas sobre a segurança da operação”, afirmou Patrícia. 

Conforme Ricardo Goethe, que coordenou o grupo encarregado de tratar as questões públicas da implosão, um cronograma será seguido até a derrubada do estádio. “Há um planejamento previsto, que poderá ter algumas alterações em relação ao trânsito e à remoção das pessoas. Somente com a data definida é que será possível relacionar os detalhes da implosão”, ressalta.

Fortunati elogiou o trabalho conduzido por Ricardo Gothe. “Foi um processo muito complexo, mas realizado com grande responsabilidade e profissionalismo por todas as secretarias envolvidas”, disse o prefeito.

O novo CT do Grêmio, que está sendo erguido perto da Arena, ainda não foi entregue. A implosão deve ocorrer após o Tricolor inaugurar o local para treinos. Para ser realizada a detonação, cerca de 2 mil pessoas terão de que deixar casas e apartamentos no dia.

Para a implosão, os moradores e comerciantes do entorno do estádio, em um raio de 200 metros, serão evacuados por um período de oito horas. Assim, que a empreiteira receber o Olímpico serão necessários 45 dias para montar. A OAS foi procurada pela reportagem, mas ainda não informou a data para implodir o estádio do bairro Medianeira.

Bookmark and Share