Porto Alegre, quinta-feira, 18 de Dezembro de 2014

  • 21/03/2014
  • 12:05
  • Atualização: 12:27

Valcke espera resolver impasse sobre estruturas temporárias até terça

Secretário-geral da Fifa avaliará situação da Arena Corinthians e do Beira-Rio

Valcke espera resolver impasse sobre estruturas temporárias até terça | Foto:  Vanderlei Almeida /AFP / CP

Valcke espera resolver impasse sobre estruturas temporárias até terça | Foto: Vanderlei Almeida /AFP / CP

  • Comentários
  • Lancepress

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, revelou nesta sexta-feira a expectativa de resolver as questões referentes às estruturas provisórias da Arena Corinthians, em São Paulo, e do Beira-Rio, em Porto Alegre, na próxima semana, quando virá ao Brasil para uma reunião com autoridades e liderança do Comitê Organizador Local da Copa de 2014.

“Tem dois locais com questões pendentes, que é Porto Alegre e São Paulo. Vou ao Brasil e na segunda à noite ou na terça-feira devo receber uma informação positiva. Espero que ao fim da semana a preocupação deva acabar. A situação deve ficar mais confortável. Estou esperando uma reunião na segunda à tarde com as cidades e governos para discutir essa situação”, disse Valcke, em coletiva na sede da Fifa, em Zurique, após reunião do Comitê Executivo da entidade, revelando uma preocupação adicional com o estádio paulista.

“Arena Corinthians é o propósito do encontro de segunda-feira. Entendo que a questão financeira foi resolvida. E agora temos ter certeza, já que faltam 80 dias, que poderemos implementar as estruturas provisórias que precisamos. É o jogo de abertura e será tão cheio como a final”, seguiu.

Na mesma ocasião, Valcke revelou o relatório financeiro da Fifa. Houve um recorde de arrecadação de 1,386 bilhão de dólares (cerca de R$ 3,2 bilhões) em 2013, impulsionado pelos contratos ligados à Copa de 2014. “A maioria dos direitos foi vendida antes do Brasil ser escolhido. O sucesso é o futebol. É o mais forte esporte do mundo e será assim no futuro. É maravilhoso ver isso num mundo que vive em dificuldades. Estamos sempre no aumento de receitas, não há redução de arrecadação na Copa. Vamos fazer mais dinheiro em Rússia e no Catar. Não está ligado onde a copa é, mas sim o valor da Copa em si mesma. A venda de ingressos no Brasil é um recorde. Hospitalidade também. É um grande sucesso”, explicou.

Bookmark and Share