Correio do Povo

Porto Alegre, 16 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
17ºC
Amanhã
14º 23º


Faça sua Busca


Esportes > Futebol > Grêmio

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

26/03/2014 12:18 - Atualizado em 26/03/2014 12:53

Luan reencontra Brasil e detalha 60 dias de ascensão no Grêmio

Jovem de 20 anos lembrou duelo em Pelotas, quando marcou primeiro gol como

Luan marcou primeiro gol da carreira contra o Brasil de Pelotas<br /><b>Crédito: </b> Lucas Uebel / Divulgação Grêmio / CP
Luan marcou primeiro gol da carreira contra o Brasil de Pelotas
Crédito: Lucas Uebel / Divulgação Grêmio / CP
Luan marcou primeiro gol da carreira contra o Brasil de Pelotas
Crédito: Lucas Uebel / Divulgação Grêmio / CP

Pouco mais de dois meses atrás, mais um jovem garantia o empate em um jogo fora de casa. Seu primeiro gol com a camisa tricolor. Hoje, Luan não é mais um garoto desconhecido. Apesar da diferença não chegar a 60 dias, o meia-atacante do Grêmio vive outro momento em seu reencontro com o Brasil-RS, na semifinal do Campeonato Gaúcho, às 19h30min. Ele lembra com carinho "teste" para a Libertadores no Bento Freitas e do gol que garantiu o duelo com o time de Pelotas ser dentro da Arena.

Com 20 anos, os sinais da juventude são claros. Ainda é tímido no contato com jornalistas. Fala pouco, por vezes baixo. O sorriso, porém, é fácil. O gol de empate ainda está vivo na memória. Eram 26 minutos do segundo tempo quando Felipe Ferreira deu lançamento às costas do lado esquerdo da defesa e, com uma cavadinha, superou o goleiro experiente Luiz Muller.

“Aquele gol, com aquele empate lá, a gente pode estar jogando a semifinal agora em casa por causa daquele gol. Foi o meu primeiro como profissional, fiquei muito feliz. É muito diferente. Era o sub-20, era o começo. Já é uma semifinal, onde estamos focados para fazer um bom papel neste jogo”, relatou Luan.

O encontro das duas equipes anterior ao desta quarta marcou a explosão de vez. A partida com o Brasil, no Bento Freitas, contou com a tradicional pressão da torcida rubro-negra, que se fez presente e criou um clima difícil para os garotos gremistas. O adversário ainda perderia um pênalti no último lance.

“Foi difícil jogar lá com a torcida deles. Um jogo parecido com de Libertadores. Foi um teste para mim. A gente começando o campeonato, poder empatar o jogo no final, foi um teste para mim. É uma mudança, fico bastante feliz de ter começado agora. É pouco tempo, foi tudo muito rápido. Estar no sub-20 lá e agora tendo minha chance no grupo principal em tão pouco tempo”, surpreendeu-se o jovem.

A partida desta quarta, obviamente, carrega sentimento especial. Uma vitória pode colocar o Grêmio na final do Gauchão, algo que não acontece desde 2011. Desde 2010, o Tricolor não ganha o título do Estadual. A comparação entre as duas partidas, claro, traz peso maior para hoje “Acho que no Grêmio sempre tem que ter essa responsabilidade, independente de qualquer jogo. Mas por se tratar de uma semifinal, é muito importante para mim”, finalizou Luan.

Bookmark and Share

Fonte: Lancepress






O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.