Porto Alegre, quarta-feira, 26 de Novembro de 2014

  • 13/04/2014
  • 19:05
  • Atualização: 19:16

Clássico mineiro termina sem gols e Cruzeiro fica com título

Raposa empatou com o Atlético-MG por 0 a 0 levou a vantagem de ter feito melhor campanha

  • Comentários
  • Lancepress

O Cruzeiro é o campeão mineiro de 2014. Após o empate sem gols na partida de ida, no Independência, a equipe celeste recebeu o Atlético-MG no Mineirão e empatou novamente em 0 a 0, pela terceira vez na temporada. A melhor campanha na primeira fase do Estadual, no entanto, deu a vantagem dos dois empates ao time estrelado, agora campeão pela 37ª vez.

O jogo

A partida mal começou e Lucas Silva mostrou que o Cruzeiro não jogaria apenas para administrar a vantagem. No primeiro minutos, o volante soltou uma bomba de fora da área e carimbou o travessão de Victor, levantando a torcida no Mineirão. Aos 11 minutos, a primeira e única grande chance do Atlético na etapa incial. Alex Silva tabelou com R10 e cruzou rasteiro para o meio. Samudio salvou afastando o perigo na pequena área.

Após início eletrizante, a partida deu uma acalmada. Marcando sob pressão, o Cruzeiro apresentou maior controle de jogo, tocando melhor a bola e chegando ao gol com mais frequência. Em dois momentos de distração atleticana, o Cruzeiro quase abriu o placar. Éverton Ribeiro e Júlio Batista perderam duas oportunidades seguidas que resultaram da falta de atenção dos jogadores alvinegros. O camisa 17, inclusive, cresceu no decorrer da partida, se soltando mais em campo, contribuindo mais com a criação das jogadas e maior volume de jogo da equipe estrelada.

Mais cauteloso e perdendo totalmente as disputas no meio campo, o Atlético pouco fez. A forte pegada do Cruzeiro, somada à pouca vontade do sistema ofensivo atleticano, contribuiu para que o time alvinegro pouco conseguisse fazer nos primeiros 45 minutos. A utilização de Guilherme e Ronaldinho Gaúcho no meio facilitou para o Atlético perder parte da pegada.

Precisando de um gol, preencher mais espaços em campo e ao mesmo tempo não se descuidar da marcação, o Atlético-MG voltou mudado, com Fernandinho no lugar de Guilherme. O Cruzeiro retornou novamente em cima, pressionando o rival em busca do primeiro gol. Trabalhando melhor a bola, o clube celeste seguiu sem se omitir em campo, e levou perigo ao gol de Victor em finalização mal feita de Goulart na entrada da área.

Com 20 minutos da etapa final, o Atlético passou a se lançar mais ao ataque, principalmente com as descidas de Fernandinho pelo lado esquerdo, incomodando mais o goleiro Fábio. A postura, no entanto, ofereceu espaços para o Cruzeiro contra-atacar e levar perigo. Ciente de seus volantes amarelados, Autuori sacou Pierre para a entrada de Claudinei, além de apostar na velocidade de Neto Berola. No Cruzeiro, Marcelo Oliveira preferiu reforçar a marcação com Souza no lugar de Dagoberto.

Os 15 minutos finais de jogo passaram com um Cruzeiro bem mais incisivo em campo, chegando com mais qualidade e frequência ao gol de Victor. Defensivamente, o Atlético se comportou muito bem, mas ficou devendo nas ações ofensivas. Ao fim do jogo, os jogadores do Galo reclamaram de um pênalti em Jô, marcado pelo juiz, mas invalidado pelo bandeira, que apontou impedimento. Sem tempo para mais nada, os mais de 40 mil torcedores no Mineirão comemoraram o empate que valeu a taça de campeão mineiro ao Cruzeiro.

Bookmark and Share