Porto Alegre, terça-feira, 21 de Outubro de 2014

  • 20/04/2014
  • 18:21
  • Atualização: 18:50

Na bola parada, Cruzeiro estreia com vitória sobre Bahia

Atual campeão brasileiro usou time misto e mesmo assim venceu fora de casa

  • Comentários
  • Lancepress

Uma bola aérea eficaz. Assim, o Cruzeiro iniciou bem o Campeonato Brasileiro em busca de conseguir novamente o título. Na tarde deste domingo, o time mineiro bateu o Bahia por 2 a 1 na Fonte Nova. Os gols azuis saíram após duas cobranças de escanteio de Marlone, com Nilton e Marcelo Moreno. Talisca, de pênalti, marcou para os baianos.

Com disposição para mostrar serviço ao técnico Marcelo Oliveira, os reservas do Cruzeiro se lançaram ao ataque desde o início da partida. Logo aos cinco minutos, Egídio lançou Willian que, na pequena área, obrigou Marcelo Lomba a espalmar. Porém, com Marlone pecando nas bolas alçadas e a dificuldade na troca de passes, a Raposa se resumiu a duas finalizações perigosas de Souza.

Além de se mostrar seguro na marcação, o volante assustou Marcelo Lomba em cobrança de falta que raspou o travessão aos 28. Seis minutos depois, encheu o pé da intermediária e a bola passou pelo lado de fora da rede.

Apostando especialmente nos avanços de Rhayner, o Bahia tropeçou em alguns momentos nas próprias pernas e teve apenas uma chance clara. Maxi Bianccuchi avançou nas costas de Mayke e finalizou para a defesa de Fábio, aos 38. No mais, a etapa inicial era marcada pela rispidez nas divididas e e pelos passes errados de ambos errados.

A volta do intervalo trouxe uma partida extremamente aberta. Encontrando mais espaços pela esquerda, o Cruzeiro viu Borges cabecear por cima da meta logo nos primeiros minutos. O Bahia respondeu com finalização de Maxi Bianccuchi para defesa de Fábio. Aos 16, a equipe celeste teve nova oportunidade nos pés de Souza. O volante bateu rasteiro da intermediária e a bola carimbou na trave.

Porém, no minuto seguinte, a Raposa marcou seu primeiro gol no Brasileirão de 2014 - e em uma jogada na qual é especialista: a bola parada. Após escanteio cobrado por Marlone, Nilton surgiu entre os zagueiros e cabeceou de maneira venenosa para vencer Marcelo Lomba.

O Bahia respondeu aos 19. Rafael Miranda arriscou de longe e, depois de Fábio bater roupa, Rhayner obrigou o camisa 1 a defender. A equipe de Marquinhos Santos voltou a pressionar um Cruzeiro encolhido e chegou ao empate aos 34 minutos.

Rhayner foi derrubado por Nilton dentro da área e o árbitro assinalou pênalti. Na cobrança, Anderson Talisca deslocou Fábio, 1 a 1. O duelo voltou a trazer boas chances para ambos os lados, porém, novamente, a bola parada falou mais alto para a equipe de Marcelo Oliveira.

Marlone cobrou escanteio novamente da esquerda e Marcelo Moreno (que substituíra Borges) cabeceou completamente livre para vencer Marcelo Lomba, aos 44 minutos. Assim, foi sacramentada a vitória de um time que soube usar a cabeça.

Bookmark and Share